Agradecimentos e aviso sobre as novel

Takhisis-e-Fizban

Para os aventureiros que estão gostando das novel originais, tem meus sinceros agradecimento!

Se tiverem dúvidas ou criticas sobre qualquer uma das novel peço que comentem nesse post.

Os capítulos são postados de forma aleatória não tendo um dia certo para as postagens.

Para os escritores que desejam postar seus trabalhos no site, por favor só deixar um comentário nesse post – antes de tudo quero lembrar que se sua novel vai fazer parte ou não do site vai depender dos leitores.

Mais uma vez agradeço a todos vocês que comentam e curtem minhas histórias!

08 – Abissal Fantasma

— A História que vou lhes contar agora, é um segredo que vem sendo carregado por nossa família a mais de mil anos, há 1192 anos para ser mais preciso. E quando eu digo família, não estou me referindo a Leão Azure, mas sim a nossa própria linhagem. Nem mesmo o Patriarca tem conhecimento deste […]

Nova Série: The Sound of Fog.

Arco I

O prólogo para um jovem que morre!

Capítulo 1 – A morte!

Era uma tarde chuvosa quando, num beco escuro, duas pessoas distintas se encontraram. De um lado: um jovem de cabelos castanhos numa bicicleta; No outro: um velho moribundo de barba e cabelos grisalhos morrendo. Era uma tarde chuvosa, e o jovem tinha pressa, em contrapartida, o velho aproveitava cada segundo daqueles que eram os seus últimos.Leia mais »

Histórias de um mago arco 4: Capítulo 20

A Guerra no Fronte Leste! (2 Parte Final)

 

 

 

Ponto de Vista Lhyana

 

 
O céu era cortado por bolas de fogo escaldante, pousando no campo inimigo, explodindo, incinerando dezenas de soldados inimigos. Na trincheira, soldados do exército de Argus, equipados com armas de fogo disparavam saraivadas de balas contra o avanço da horda demoníaca.

A terra tremia com cada passo dos cavaleiros blindados da divisão da cavalaria mecanizada, se chocando contra os gigantes ciclopes, equipados com armadura pesada e manejando clavas de ferro poderosas.

Sons trovejantes, resultante de suas trocas de golpes, retumbava pelo campo de batalha.

Navios mágicos de ambos lados desciam dos céus, desembarcando novas tropas. Enquanto os monstruosos leviatã se emparelhavam nas alturas sob o campo de batalha, eram como duas montanhas de metal lutando, disparando seus ganhões um contra o outro, provocando som de explosões poderosas.Leia mais »

Arcádia arco 2: Capítulo 8

Akai Ito, O fio Vermelho do Destino!

 

 

 
O sol já estava mergulhando nas montanhas oeste, tingindo o céu com uma tonalidade laranja e rosada, quando Mei Yue finalmente despertou. Sua cabeça doía, debilmente levantou-se, sentando-se na beira da cama macia.

Seus olhos digitalizou o quarto.

Ela estava sentada em uma cama, tão macio que parecia estar sentado em nuvens. O quarto era espaçoso e decentemente mobiliado. No quarto mal iluminado procurou por sua espada e logo a encontrou, junto com parte de seu equipamento ao lado da cama. Por um momento pensou que estava sozinha naquele quarto estranho, até ver um garoto de mantos negros de olhos fechados, sentado com as pernas cruzadas.

Ele estava envolto de sombras, e ao mesmo tempo imerso na luz demoníaca irradiada pelas páginas de um livro que flutuava no meio do ar.

Que lugar era aquele? Quem era aquele garoto?

Tentou lembrar-se como havia parado ali, então as lembranças de antes de perder a consciência assaltaram sua mente. Suas mãos tatearam seu corpo, mas não encontrou qualquer ferimento – até mesmo as velhas lesões haviam desparecido.Leia mais »

Arcádia arco 2: Capítulo 7

Guilda dos Aventureiros! (2 Parte Final)

 

 

 

 

A funcionária Olivia trabalhava como recepcionista da Guilda dos Aventureiros desde que havia completado quinze anos de idade. Ela nasceu e foi criada na cidade de Al-Markhen, assim como maior parte dos funcionários da guilda, era filha de ex-aventureiros que moravam na fabulosa cidade dos aventureiros.

Nesse trabalho era essencial ter uma boa aparência e um sorriso amável para receber todos, mesmo os grosseiros que adoram arrumar confusão. Agora, com quase 20 anos de idade, havia visto todos tipos de pessoas entrar e sair por aquelas portas: filhos de camponeses que sonham em ser heróis; filhos de nobres que procuram uma vida de aventuras; guerreiros que procuram afiar suas espadas derrotando poderosos monstros; e principalmente pessoas que fogem de seus países de origem por vários fatores, na procura de uma vida melhor.

De todos aquele que se tornavam aventureiros, grande parte havia perdido suas vidas em calabouços ou na garra de terríveis monstros.Leia mais »