Crônicas de Helgard: Capítulo 6

Tutorial: Combate contra o Cavaleiro de Gelo Niflheim!

 

 

― Essa é uma Invocação Elemental Intermediário. Feitiço da quinta camada que permite invocar formas de vidas espirituais de outros planos ― explicou o doutor. ― Antes de começar um combate é importante saber os pontos fortes e fracos de um adversário. Analise seu adversário com o Dispositivo Arcano e prepare uma estratégia de combate. Você tem 1 minuto.

 

Estratégia sei…., pensou Karl ao lembrar-se das história do jovem mago. Se ele for realmente o jovem mago da história. Seria meio irônico ouvir de alguém que simplesmente explodia seus adversários sem se importar com estratégia ou qualquer coisa do tipo.

 

Karl balançou a cabeça afastando tais pensamentos pretensiosos.

 

Pensou em ignorar as palavras do doutor e atacar diretamente o golem de gelo. No entanto seria demasiado imprudente atacar um oponente sem considerar se seus ataques vão surtir efeito ou não contra terminado adversário.

Sem falar para começo de conversa. Que já era um erro comparar-se com o jovem mago. Era simplesmente ridículo tentar se comparar com o ser que enfrentou Deuses, Demônios e poderosos Dragões como se fosse um passeio no parque.

 

Fui presunçoso demais, pensou com um sorriso auto-depreciativo. Ele é uma existência que está acima dos próprios Deuses, pertencente ao um reino único que Deuses e mortais só podem sonhar em um dia alcançar.

 

Seguindo as instruções do doutor, tocou no dispositivo nas correias do cinturão.

 

O dispositivo escaneou o golem de gelo e projetou uma imagem bidimensional com informações detalhadas do golem de gelo.

 

 

Nome: Cavaleiro de Gelo Niflheim  Nível de Poder: C

Espécie: Espírito de Gelo (Superior)

Proteção Divina: Nenhuma

Título: <Espantalho de Gelo N 1>

Habilidades Ativas:

【Manipulação de Gelo】

Habilidades Passivas:

【Pensamento Paralelo】,【Aura Congelante】,【Percepção Magia】

Habilidade Especial: Nenhuma

Resistências: Imunidade ao Frio\ Redução de Danos Mágicos\ Redução de Danos Físicos

 

― ….Doutor você não está exagerando um pouco?

 

― Eu estou pegando leve por ser um tutorial. Um Cavaleiro de Gelo de Nifheim em seu poder total é algo que em seu atual estado não pode lidar. Eu reduzi bastante seu poder e habilidades para que você possa ter uma luta adequada.

 

Não era o que parecia.

 

― O que significa nível de poder?

 

Karl tinha suas suspeitas sobre o significado de nível de poder. No entanto era melhor confirmar com o doutor.

 

― Todas espécies de Helgard são classificadas pelo seu nível de poder. Dos mais fracos nível E até os mais fortes nível SSS. Formas de vidas espirituais normalmente estão entre os níveis de poder C e S. O nível de poder de um Cavaleiro de Gelo Niflheim é B+.

 

Ouvindo a explicação do doutor, Karl agora tinha uma ideia do quanto poderoso era o cavaleiro de gelo.

 

― De toda maneira, caro Karl, se você não puder lidar com isso vai morrer cedo lá fora. Enfim, seu tempo terminou. Se estiver pronto, vamos começar. Primeiro vamos testar suas reações.

 

Assim que o doutor terminou de falar o cavaleiro de gelo avançou.

 

O cavaleiro posicionou o escudo de uma forma que cobria sua parte superior e abaixou a espada, correndo em alta velocidade.

 

Foi um ataque simples e rápido.

 

O cavaleiro que estava a mais de cinquenta metros de distância encurtou o espaço entre os dois num curto intervalo de tempo.

 

Karl entrou em pânico e não conseguiu reagir a tempo. No momento seguinte seu corpo foi acertado pelo escudo do cavaleiro. O golpe foi tão forte que o lançou vários metros para trás, como se tivesse acabado de se acertado por um carro em alta velocidade.

 

As costas de Karl colidiu contra o piso duro, expulsando o ar de seus pulmões.

 

Sem dar tempo nem para respirar. O cavaleiro de gelo saltou para cima dele, desferindo um golpe com sua espada.

 

Karl cerrou os dentes e suportou a dor que sentia em cada osso de seu corpo.

 

Rapidamente rolou para o lado. A lâmina da espada passou centímetros de seu corpo, acertando o piso seguido por um som estridente, deixando para trás um corte no piso sólido.

 

― Em uma batalha é importante prestar atenção no movimento do oponente. Reagir de forma rápida e incisiva. Não perca tempo com pensamentos inúteis. Não hesite. Não tenha medo. Leia cada movimento do adversário. Ataque quando ver uma brecha. Defenda quando não for possível escapar e contra-ataque se tiver uma abertura. Nunca fique parado. Sempre em movimentação constante!

 

Karl rapidamente se levantou e entrou em posição de guarda. Respirou fundo e deixou o conhecimento da Perícia【Mestre da Batalha】fluir em sua mente.

 

Seus olhos mudaram. Sua expressão agora refletia o rosto de um soldado profissional.

 

karl lentamente começou andar ao redor do cavaleiro de gelo. Mantinha uma distância adequada para não entrar em combate próximo com o cavaleiro de gelo.

 

Sem aviso o cavaleiro de gelo avançou novamente.

 

Atacando em linha reta com o escudo cobrindo seu corpo.

 

Dessa vez Karl não entrou em pânico. Plantou bem os pés no chão. A força começou aumentar em seu corpo e seus músculos em seus braços incharam. Assim que o cavaleiro de gelo entrou no campo de alcance de sua alabarda, fez uma varredura horizontal da direita para esquerda.

 

O ar assobiou violentamente.

 

A lâmina da alabarda colidiu contra o escudo do cavaleiro de gelo. No mesmo instante suas resistências redução de dano físico e mágico entrou em trabalho, anulando parte da força do golpe.

 

Contudo…

 

A força do impacto foi o suficiente para arremessar o cavaleiro de gelo para trás. A força do golpe foi tão forte que o cavaleiro de gelo parou somente quanto seu corpo colidiu contra um pilar a mais de cem metros de distância.

 

― Sua força é esmagadoramente superior ao cavaleiro de gelo. Contudo, a resistência do cavaleiro de gelo não se pode levar de ânimo leve. Receber tal impacto tirânico e continuar inteiro e a maior prova de sua resistência. Por exemplo: se fosse uma forma de vida humanoide nível de poder C. Teria sido cortado ao meio pelo golpe.

 

Karl lembrou-se de um detalhe problemático do cavaleiro de gelo: redução de danos físicos e mágicos. Seria necessário atacar com vários golpes do mesmo nível do anterior para derrotar o cavaleiro de gelo.

 

O escudo do cavaleiro de gelo foi destruído durante o impacto. Segurou a espada com as duas mãos e a levantou por cima do ombro.

 

Uma densa névoa extremamente fria começou a se reunir ao redor da espada e com um ataque vertical de cima para baixo golpeou o chão.

 

No mesmo instante Karl teve uma sensação de crise e rolou para o lado. No canto de seu campo de visão, viu um enorme estalactite de gelo surgir do piso aonde estava anteriormente.

 

Se ele não tivesse rolado para o lado ele teria sido empado pela estalactite de gelo.

 

― Oh! Uma boa reação! ― elogiou o doutor. ― Só para avisar. Cavaleiros de gelo pode manipular naturalmente o elemento gelo. Claro, que toda vez que ele usar um ataque mágico desse nível irá consumir poder mágico. Normalmente um cavaleiro de gelo invocado não poderia usar mais do que uma a três vezes esse ataque…Mas….

 

Antes que pudesse completar a frase. Karl viu o cavaleiro de gelo levantando novamente a espada concentrando para ataca-lo novamente com o ataque mágico anterior.

 

― …Como eu sou o invocador, o cavaleiro de gelo pode conjurar o mesmo ataque infinitamente.

 

Merda! Karl xingou mentalmente. Aonde em um tutorial você tem que enfrentar um chefe desde o início?

 

Karl rolou novamente para o lado evitando outra estalactite de gelo do chão. Karl se levantou e começou a correr em ziguezague evitando as estalactites de gelo que brotavam uma atrás da outra.

 

Karl continuou fugindo enquanto pensava em uma forma de lidar com o cavaleiro de gelo.

 

Ele não havia pensando antes, mas aos poucos começou a perceber que seus sentidos e resistência física estavam em um novo patamar.

 

Para alguém que passou quase toda a vida em uma cama de hospital esse era um sentimento empolgante.

 

Um novo sentimento começou a florescer dentro do coração de Karl e se espalhar como uma onda de calor por todo seu corpo.

 

Esse era um sentimento que poderia somente ser encontrado durante uma luta.

 

A euforia da batalha.

 

Ao perceber que estava animado, que desejava lutar mais, que desejava cortar o cavaleiro de gelo ao meio. As batidas cardíacas aumentaram e a circulação de sangue se tornou mais rápida, assim como seus pensamentos foram acelerados.

 

Naquele estado misterioso conseguia prever com antecedência aonde uma nova estalactite de gelo iria surgir.

 

Os lábios de Karl se curvaram para cima em um sorriso animado.

 

Ele não pensou em mais nada e se lançou contra o cavaleiro de gelo, confiando somente em seus instintos. Se moveu de forma rápida e elegante, como se estivesse dançando, evitando cada estalactite de gelo mortal.

 

Vendo que sua estratégia não estava surtindo efeito sobre o oponente. O cavaleiro de gelo abandonou sua posição, lançando-se de encontro com Karl, desferindo um ataque com sua espada coberta com uma onda de névoa extremamente fria.

 

A lâmina da alabarda se colidiu com a lâmina da espada…..Uma vez…..Duas veze….Três vezes…Quatros vezes…..Dez vezes…..

 

Desferindo ataques em alta velocidade que limitava ao reino do absurdo. Karl e o cavaleiro de gelo trocaram inúmeros golpes que mais pareciam estrelas cadentes, colidindo-se uma contra a outra produzindo faíscas deslumbrantes.

 

Eles haviam chegado a um impasse…

 

…Mas não por muito tempo.

 

― Hahahahaha!!!

 

Imerso naquela euforia. Os batimentos cardíacos de Karl se tornaram cada vez mais rápidos e o sangue dentro de seu corpo parecia ferver.

 

Sem notar seu corpo começou a transbordar de energia mágica para fora.

 

― Ele está entrando no modo Berserker? ― murmurou doutor. ― Não isso é diferente, talvez seja algum aspecto racial.

 

Nem mesmo o doutor sabia todos segredos que aquele corpo escondia.

 

Pelo jeito aquele bando de viciado em trabalho colocaram algumas surpresas dentro desse corpo, pensou o doutor melancolicamente.

 

Com o novo aumento de força, os ataques de Karl se tornaram mais rápidos e mais poderosos.

 

O cavaleiro começou a ser empurrado para trás pela torrente de golpes.

 

O corpo de karl começou a crescer mais alto e seus músculos expandiram. Seu cabelo azul-escuro cresceu atingindo seu quadril e ganhou uma tonalidade metálica. Por todo seu braço e ao redor de seus olhos surgiram linhas azul-roxeado pulsantes como se fossem circuitos de uma máquina.

 

Recebendo tanto poder mágico, alabarda da tormenta começou a brilhar e lançar vertentes de eletricidade.

 

Agora cada golpe da alabarda era igual ao um relâmpago. Rápido e Feroz.

 

O cavaleiro não conseguiu acompanhar o ritmo de Karl e os golpes o acertavam com um grande poder destrutivo. Mesmo com suas resistências redução de danos físicos e mágicos, estava recebendo pesadas quantidades de dano.

 

Naquela altura o resultado era óbvio: Karl venceria.

 

Saltando como um deus onipotente, Karl saltou para o alto e lançou a alabarda preenchida de poder mágico contra o cavaleiro de gelo.

 

Um “relâmpago”, era a descrição perfeita para o golpe a seguir.

 

Em um instante, igual a um relâmpago, a alabarda voou em direção ao alvo.

 

Sem qualquer chance de se defender ou fugir. A alabarda atingiu o peito do cavaleiro de gelo, penetrando como se fosse uma faca quente na manteiga.

 

A alabarda lançou vertentes de energia, explodindo o corpo do cavaleiro de gelo em vários fragmentos.

 

― Parabéns! ― congratulou o doutor. ― Sinceramente era para você ter perdido e apanhado do cavaleiro de gelo recebendo uma lição de humildade. Bom, não é importante.

 

Lentamente Karl foi retornando ao normal e a sensação de euforia desapareceu.

 

Ele olhou para suas mãos trêmulas. Não por medo ou fraqueza. Tremia de emoção.

 

Nunca imaginou que uma batalha poderia ser empolgante.

 

― …Doutor…Esse sentimento…Essa euforia que faz meu sangue ferver…Sempre que eu lutar será dessa forma?

 

― Depende…

 

― Do que, doutor?

 

― …Se você vai ou não está se divertindo. Se você ficou nesse estado com uma única batalha, nem posso imaginar quanto estiver em um campo de batalha. Cercado por milhares de guerreiros, lutando, encharcando o solo com sangue de seus inimigos! E depois da matança, nada melhor que uma mulher esquentando sua cama!

 

Karl sentiu o sangue em suas veias ferver ao se imaginar em um campo de batalha, lutando contra milhares e depois…

 

Karl agora compreendia por que o doutor era daquela forma.

 

Karl apenas sorriu.

 

― Ah, aprendiz de padawan você tem muito o que aprender sobre a vida e o encanto de uma boa mulher. A partir de agora me chame de mestre! Compreendeu?

 

Um poderoso grito veio como resposta:

 

― Sim, mestre!

 

― Nada mal, nada mal ― disse o doutor satisfeito. ― Antes de finalizar esse tutorial, vamos falar sobre o prazer de um campo de batalha. Sente-se meu aprendiz.

 

O doutor contou em ricos detalhes sobre todas batalhas que ele travou e em detalhes ainda mais ricos todas mulheres que conheceu no vasto universo.

 

Karl escutou tudo em silêncio fascinado pelas histórias do doutor.

 

Antes de ouvir as palavras divinas do doutor. karl não tinha um objetivo em mente, não sabia bem o que fazer assim que estivesse lá fora.

 

Agora era diferente.

 

Ele gravou cada palavra em seu coração.

 

― O mundo é vasto lá fora ― dissera o doutor. ― Um mundo em que sempre há guerra em algum lugar. Um mundo aonde você pode ser o que quiser. Um herói idiota ou um vilão legal. Pode ser um lendário mago, um grande guerreiro ou até mesmo um nobre! Lá, naquela maldita terra infestada de monstros, aventuras estão por toda parte. O que você vai ser, caro Karl, depende exclusivamente do que deseja e da sua força!

 

Para karl seus horizontes foram ampliados pelo doutor, doutor não, por seu mestre.

 

― Ouça bem jovem aprendiz ― disse seu mestre com uma paixão contagiante. ― Tesouros e mulheres. Esse é o segredo dos fortes! Heróis que só gozam de virtude e desprovido de riqueza vivem uma vida infeliz, pior que a de um cão. Por esse motivo eles são fracos e morrem como porcos em um abatedouro. Se desejar trilhar o caminho de seu mestre, guarde bem essas palavras e siga o caminho dos fortes!

 

Karl não compreendia o ódio de seu mestre pelos heróis, mas também não se importava. Um dos motivos que o fez ser tão fascinado pelas histórias do jovem mago era por que ele não era um típico herói hipócrita.

 

O jovem mago da história agia conforme seus ideais. Não era preso por leis ou falsas ideais de moralidade. Não agia com hipocrisia e apenas seguia os desejos de seu coração.

 

Por esse motivo o jovem mago era seu protagonista favorito.

 

De certa forma pode se dizer que ele era o seu herói.

 

Com esses pensamentos em mente e uma determinação férrea, decidiu seguir os passos de seu mestre…Os passos do jovem mago…Os passo de seu herói.

 

E assim o jovem virtuoso Karl começou a trilhar o lado escuro da força.

Anúncios

10 comentários em “Crônicas de Helgard: Capítulo 6

  1. Cap massa xD Serio tava pensando em falar da luta que foi bem massa… Mas o dialogo dos dois foi muito lindo u.u Deu pra ver o afeto de Lyam pelo Karl como um pai kkk u.u Mas Magus uma pergunta… Lyam vai ficar falando com o Karl assim, casualmente? ou vai parar por aki ou vai falar as vezes sobre alguma coisa que precisa de uma explicação?

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s