Nefoedd (Reescrito): Capítulo 13

O Exército Imortal vs A Legião de Ferro! (2 Parte Final)

 

 

>>>>> 2 <<<<<

 

 

Os soldados vampíricos desembainharam suas espadas e ajeitaram seus escudos. Semi-agacharam, retesando os poderosos músculos de suas pernas, preparando para se lançar em alta velocidade assim que for lhes dada a ordem.

Do outro lado, os constructo tipo soldado da legião de ferro avançava. Escudos sobrepostos. Formando uma parede férrea. Cada passo da marcha era acompanhado pelo som do tilintar de suas pesadas armaduras de ferro.

Atrás da legião de ferro estava VermilionMinus levando consigo um poderoso machado de guerra de duas mãos.

― Avançar! Matem Todos! Matem Todos! ― VermilionMinus vociferou explosivamente. ― Não vamos permitir que maculem a terra santa de nosso criador!

Em resposta os constructo soldados gritaram em uníssono:

― Pelo Criador! Pelo criador! Pelo Criador! Pelo criador! Pelo Criador! Pelo criador! Pelo Criador! Pelo criador!

As duas orbe flamejante de VermilionMinus concentrou-se na formação inimiga do outro lado do campo de batalha. Apesar de sua legião ser considerado a mais fraca e respectivamente a mais nova legião de Godheim. Tinham o orgulho de serem criados pelo Lorde Supremo, Freyr Pendragon. O ser supremo que construiu a majestosa Godheim – símbolo da supremacia de seu criador e fonte de orgulho de todos habitantes de Godheim.

Apesar de aparentemente só haver os dois exército nas planícies Doruk. VermilionMinus podia sentir o olhar de vários guardiões do templo avaliando-o criticamente. Falhar ali seria o mesmo que jogar lama no honrado nome de seu criador, o que seria um crime imperdoável.

Então para a própria honra de seu criador. Falhar não era uma opção.

Eles vão atacar primeiro com a infantaria, pensou VermilionMinus calculando a provável estratégia que seria adotado pelo inimigo. Por ser um Constructo tipo Senhor da Guerra possui habilidades voltados para estratégia e aumento das forças de um exército sob seu comando. O ataque frontal será uma distração… Vão usar sua cavalaria para atacar os flancos do meu exército…

VermilionMinus bufou soltando pequenas labaredas de fogo.

Para realizar tal manobra devem estar confiantes da força de sua cavalaria. Nesse caso vou lhes dar uma bela surpresa… No entanto, a questão é se aquela pequenina vai participar da batalha. Ela exala um ar natural de um ser poderoso. No mínimo deve ter um poder equivalente a um guardião do templo.

Do outro lado do campo de batalha.

O Comandante-Cavaleiro Frenz dividiu a cavalaria em dois grupos de 50 cavaleiros. Sem piscar seus olhos vermelho-sangue encarava a legião de ferro e com uma disciplina diligente, aguardava as ordens de sua senhora.

A Demonesa Silvyaluna levantou uma das mãos branca como flocos de neve e fechou a mão em um punho sinalizando o ataque.

― Vão meus leais soldados! Esmague-os!

Todos soldados vampíricos jogaram a cabeça para trás e soltou um rosnado gutural enquanto revelavam suas presas afiadas. Avançaram. Disparando para frente com tamanha rapidez que olhos humanos não poderiam acompanhar.

― Mantenham firme suas posições! ― VermilionMinus gritou vendo ao ver os soldados vampírico avançando em alta velocidade. ― Preparar para o choque!

Os 500 soldados vampíricos posicionou seus escudos à frente de seus corpos, enquanto avançavam em alta velocidade contra a parede de escudos, levantando um rastro de poeira para o alto . Recebendo uma mensagem telepática de sua senhora alteraram a formação formando a ponta de uma flecha, liderado pelo Capitão dos soldados vampíricos, Brian Callum Eneb.

Sob o belo luar daquela noite os dois exércitos se enfrentaram, resultando em um estrondo ensurdecedor, parecido com o som de um trovão. Assim que o escudo de Brian Callum Eneb atingiu o escudo do soldado da legião de ferro, lançou-o com ímpeto vários metros para trás, caindo sobre seus companheiros.

As orbe flamejante de VermilionMinus cintilaram de espanto.

― Como podem possuir tal força…. Pode ser que sejam diferentes dos vampiros do mundo do criador?

VermilionMinus tinha um conhecimento básico de todas raças… Mas eram as raças do jogo Arcádia. Em seu conhecimento os vampiros não eram seres tão fortes, ou muito menos seriam capazes de lançar um constructo soldado para trás tão facilmente.

― Foi meu erro considerar que teriam a mesma força de um vampiro do mundo do criador. Vou ter que reajustar toda estratégia!

A parede de escudos foi quebrada com a investida, seguido pela cacofonia de espadas colidindo com espadas, iniciando um combate feroz entre os dois exércitos. Os soldados vampíricos eram extremamente fortes e rápidos, movimentando-se como fantasmas, acertando golpes de espada rápidos e poderosos colocando abaixo um constructo soldado.

Por outro lado, usando a vantagem dos números, soldados da legião ferro cercavam os soldados vampíricos e com poderosos golpes de suas afiadas espadas, transformava-os em várias peças.

Assim que os soldados vampíricos eram “mortos”, tendo seus corações perfurados ou eram decapitados, viravam cinzas deixando para trás apenas uma pilha de esqueleto e seus equipamentos.

Apesar da vantagem inicial, quebrando a parede de escudo da legião de ferro, estavam começando ser suprimidos pelos números daqueles demônios ferro. A parede de escudo entrou em movimento, fechando cerco contra os soldados vampíricos, formando um círculo ao redor deles.

Brian Callum Eneb movia-se com grande rapidez entre os demônios de ferro. Manejando sua espada sem parar por um segundo, criando lampejos prateados que rasgava as armaduras dos demônios de ferro. Machados. Espadas. Escudos. Nada conseguia acerta-lo. Quando não tinha forma de escapar, ativava sua Habilidade Racial Vampírica「Mist Body」, transformando todo seu corpo em névoa negando dano de qualquer ataque físico.

De repente um constructo diferente surgiu interceptando-o com seu enorme escudo torre. Sua aparência era basicamente a mesma, com a diferença da altura e a cor de um preto obsidiana.

Era um Constructo tipo Berserker.

Sem hesitar avançou transformando seu corpo em névoa passando pelo grandalhão e voltando à forma física atrás dele, desferindo um golpe com sua espada. Assim que sua espada entrou em contado com a grossa couraça do constructo tipo Berserker, a lâmina da espada rachou e estilhaçou-se em inúmeros pedaços.

No mesmo momento, o constructo tipo Berserker virou, golpeando Brian Callum Eneb com uma pancada de escudo. Lançando-o com violência para trás. Ele quicou várias vezes no solo até finalmente parar. O peitoral de sua armadura de aço negro estava amassado e seus braços e pernas quebrados.

De forma bizarra, acompanhado pelo som de estalos, seus braços e pernas voltaram ao lugar e levantou-se cuspido um bocado de sangue.

― Então eles estavam escondendo os lobos entre as ovelhas?

Pela velocidade de reação e força do golpe ficou claro que aquele inimigo estava em outro nível quando comparado com os demônios de ferro. Mentalmente, mandou uma mensagem sua senhora avisando sobre os poderosos constructos tipo Berserker.

A Demonesa responde com uma mensagem telepática.

[Capitão Brian Callum Eneb você fez o suficiente. Faça uma marcação de sangue e reagrupe com seus homens.]

Brian não hesitou e mordeu o próprio pulso, fazendo-o sangrar. Pegou seu sangue e atirou no constructo tipo Berserker criando uma marca de sangue em sua couraça. Os soldados vampíricos que encontravam um Berserker fazia uma marcação de sangue e recuou.

Momentos depois quando a lutava estava em seus ápice. O Comandante-Cavaleiro Frenz iniciou o ataque da cavalaria, dividido em dois grupos de 50 cavaleiros, flanquearam a legião de ferro. Atacando-os ferozmente.

Naquele momento, Constructos tipo Berserker correram em alta velocidade, interceptando a cavalaria, girando como furacões da morte. Levando a cavalaria inimiga ao caos. Eram como máquinas de matar. Seguiam automaticamente eliminando um inimigo após o outro. Suas couraças de obsidianas eram muito resistentes contra ataques físicos e magias da quinta camada eram completamente ineficazes contra eles. Não seria exagero dizer que eram verdadeiros “tanques de guerra ambulantes”.

Atropelavam tudo pela frente, espalhando morte para a cavalaria inimiga.

Vendo seus cavaleiros juramentados morrendo um após o outro provocou uma pontada em seu coração. Dor, que logo foi suprimida pela Demonesa, pois não podia dar o luxo de sentir nada. Acreditava também que seria desrespeitoso com seus homens leais que perderam suas vidas na investida.

Em uma batalha vidas são perdidas. Sonhos apagados e para aqueles que ficam para trás, apenas a tristeza da perda. Para nós, imortais amaldiçoados, a morte e a perda são imensamente mais dolorosos. Mesmo, assim seguiram para uma batalha que poderia tirar suas vidas. Ah, meus leais homens, como poderia, eu, sua senhora ser tão respeitosa em sentir tristeza?

Com esses pensamentos jogou sua mão para frente e entrelaçou seus dedos formando diversos selos mágicos.

A cada selo mágico, sua mana era drenada, linhas paralelas e transversais se espalhavam ao longo de seu braço. A Demonesa flutuou para o céu noturno e sob a luz pálida da lua, com seus gestos graciosos, com as belas mãos brancas como neve. Parecia uma fada cheia de charme vinda do reino divino.

Formando o último selo ela ativou um feitiço.

―「Demonic Ray Storm」!

Ao ativar o feitiço da sétima camada das Artes Mágicas Proibidas – um tipo de magia antiga e poderosa qual dominava –, símbolos mágicos de um tom avermelhado flutuou ao redor da demonesa. Depois de alguns minutos, disparou para o céu, criando nuvens escuras e grossos raios vermelhos.

O feitiço proibido da sétima camada, Demonic Ray Storm, é uma poderosa magia ofensiva. Mas, em contra partida sua precisão era extremante baixa.

No entanto, não era um problema para a demonesa. Ela havia solucionado o problema com o uso do feitiço proibido 「Blood Marking」, marcando seus inimigos. Dessa forma o feitiço Demonic Ray Storm concentrava-se naqueles marcados pela marcação de sangue.

Nuvens de tempestade cobriram todo céu e com um estrondo ensurdecedor, um imponente trovão vermelho cortou os céus e ao aproximar-se do solo dividiu-se em várias vertentes menores, dizimando todos os Constructos tipo Berserker marcados.

Não importava o quão poderoso eram suas couraças. No fim acabavam virando uma pilha de metal incandescente. Não somente os alvos foram afetados, mas como todos ao redor foram reduzidos a pilhas de metal incandescente.

― Como eu imaginava, ela é muito poderosa… Nem mesmo os Berserker foram capazes de resistir contra seu imenso poder… Mesmo com minhas forças estamos fadados a perder essa batalha. Perdoe-me, criador. Sou indigno. Mas, vou usar a vida que nos concedeu para impedir que o inimigo macule a santidade de suas terras!

As orbes flamejante brilharam com intensidade e com o cabo do machado de duas mãos, bateu vigorosamente contra a terra.

― Ultimate Skill:「Sacrifice of Iron Blood Devotees」!

(Magusgod google tradutor: Sacrifice of Iron Blood Devotees, significa sacrifício dos devotos do sangue de ferro)

VermilionMinus ativou uma habilidade final única dos Golens. Diferente de outras habilidades finais, essa vinha com certo preço.

No caso da Habilidade final Sacrifice of Iron Blood Devotees o preço era…

Ao ativar a habilidade final as orbes flamejante de VermilionMinus cintilou intensamente.

― Pelo Criador! Pela gloriosa Godheim! ― VermilionMinus gritou fazendo sua voz ressoar como um trovão por toda planície Doruk.

Em seguida as chamas da vida desapareceu de seus olhos e todo seu imenso corpo desabou no chão. Aonde havia duas orbes flamejante, agora estava vazia, desprovido de qualquer traço de vida.

Pelo campo de batalha, todos Constructo tipo Soldado sobrevivente que travavam uma luta acirrada com o exército imortal, parou suas ações e gritaram em uníssono:

― Pelo Criador! Pela gloriosa Godheim!

Em seguida de suas palavras, suas orbes flamejante se apagaram e caíram no chão sem vida.

As planícies Doruk que era preenchido pelo som de combate, agora estavam em completo silêncio.

A Demonesa olhou para situação franzindo ligeiramente a testa até que de repente sentiu um grande fluxo de mana fluindo para o centro do campo de batalha.

― Isso não é nada bom… Usaram suas vidas para invocar algo para esse mundo… Meus leais homens! Recuem! Rápido!

No céu sob o centro do campo de batalha surgiu um circuito mágico bizarro drenando toda mana do local.

A cavalaria e os soldados vampíricos, recuaram o mais rápido possível, vendo atrás de si a carcaça de dos constructos derretendo e convergindo para o circuito mágico bizarro, transformando-se em uma grande esfera de metal líquido.

Com uma fome voraz, todos seres vivos próximo do circuito mágico tiveram suas vidas drenadas até seus corpos secar. Aqueles soldados vampíricos que recuaram tarde demais caíram sem vida no chão e seus corpos viraram cinzas.

Para evitar mais perdas, a demonesa levantou uma poderosa barreira mágica ao redor do circuito mágico bizarro… Mas…

…Acabou servindo apenas como alimento.

Após vários minutos a esfera de metal líquido fundiu-se com o circuito mágico bizarro e solidificou-se.

*Crack! Crack! Crack! Crack! Crack! Crack!*

Rachaduras surgiram na esfera de metal revelando um ser que encheu de medo o coração da demonesa.

Naquele dia nasceu no mundo a reencarnação da morte e destruição.

Anúncios

7 comentários em “Nefoedd (Reescrito): Capítulo 13

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s