Arcádia (Reescrito): Capítulo 15

Epílogo

 

 

 

 

Os quatros chegaram ao vilarejo ao anoitecer. Samson se recolheu em um dos quarto da casa. Estava exausto da longa jornada, precisava de um bom descanso. Enquanto isso Milaine, Arthur e Liz estavam na sala, sentados no sofá.

Uma silêncio estranho dominava sala.

Milaine tinha o olhar sério, logo começaria o interrogatório. Liz apenas bebericava seu chá de ervas doces, fingindo não ter interesse – mas seus ouvidos estavam atentos ao menor ruído.

Milaine seria dura com ele, para obter respostas.

― Como, quando, e quem deu esse grimório mágico para você? ― Milaine questionou.

Arthur pensou em uma mentira bem elaborada, mas seu coração pesava com ideia de mentir para ela. Allan nunca disse para manter segredo, mas temia contar para ela a verdade.

Ele hesitou em responder, sentindo sua garganta seca disse:

― Allan deu o grimório mágico para mim como presente de dez anos de idade ― respondeu hesitante e completou: ― As vezes ele aparece para mim e me ensina sobre o caminho da magia.

Sua postura e face se quebrou ao ouvir o nome de Allan. Milaine esperava qualquer coisa, menos ouvir seu nome.

― Aonde ele está? ― Milaine perguntou com uma voz abalada.

― Eu não sei mãe ― disse ele. ― Allan aparece e desaparece sem aviso.

Milaine e Liz ficaram em silêncio.

Foi mais doloroso que Arthur imaginou, não desejava ver aquela expressão dolorosa de Milaine.

Liz suspirou e perguntou:

― Tem certeza que era realmente Allan?

― Longos cabelo preto, orelhas pontudas, olhos cinzentos e rosto parecido como o meu. Era como se eu estivesse me vendo como seria quando ficasse mais velho. Então acredito que seja meu pai, ou alguém muito parecido. De toda maneira não faz diferença.

― Como assim não faz diferença? ― Liz questionou, arqueando uma sobrancelha.

― Para mim é apenas alguém que aparece as vezes ― disse Arthur, fingindo indiferença. ― Se ele é ou não meu pai, não me importo. Minha única família é Milaine.

Arthur não pensava realmente nisso. Queria penas dar um conforto para Milaine.

― Entendo… ― disse Liz, ficando em silêncio.

― Obrigado, filho ― disse Milaine num tom emocionado. ― Você é meu único consolo!

Arthur abraçou carinhosamente Milaine.

Mãe e filho tiveram uma longa conversa até encerrarem o assunto sobre Allan e o grimório demoníaco.

― Precisamos deixar o vilarejo ― disse Milaine imersa em pensamentos. ― Está na hora de você viver em uma cidade de verdade, conhecer várias pessoas, ver como o mundo funciona lá fora. E, além do treinamento mágico daquela anã arrogante, irá aprender o ofício da minha profissão.

― Sua profissão? ― Arthur perguntou animado.

― Sim, minha profissão: aventureira ― disse ela com orgulho. ― Em uma semana partiremos para Cidade dos Aventureiros, Al-Markhen.

― Ah….Temos que ir realmente para quela cidade? ― perguntou Liz desanimada. ― O clima seco daquela cidade faz mal para minha pele!

― Hoje o dia foi longo e bem animado ― disse Milaine, ignorando os resmungos de Liz. ― Já está tarde, vamos descansar.

Quando Arthur retornou para seu quarto, tentou dormir, mas não conseguia. Estava animado para viagem para outra cidade, e ao mesmo tempo preocupado com várias coisas.

― Preciso me tornar mais forte…

Arthur praticava magia não por que ele queria se tornar mais forte, mas por que desejava desvendar os mistério da magia. Mas após tirar as informações da cabeça do Cavaleiro Santo, seu modo de pensar mudou um pouco. Agora ele precisava tornar-se mais forte. Por que descobriu que havia tropeçado em uma grande trama. Temia também que as informações tiradas do Cavaleiro Santo fosse apenas a ponta do iceberg.

― Preciso me tornar mais forte…― murmurou novamente, olhando para o grimório em suas mãos. ― O que você acha que eu devo fazer?

Por um momento nada aconteceu, mas em seguida o grimório irradiou um leve brilho demoníaco. Flutuou no ar, o grimório se abriu sozinho parando em uma página em branca aonde surgiu palavras.

 

Qual preço você está disposto a pagar pelo poder?
Sacrificaria sua humanidade?
Para se tornar mais forte, se tornaria um demônio?

 

― Se eu me transformar em um demônio irá conceder o poder necessário para sobreviver ao que está por vir, para proteger minha família, tudo que amo, minha resposta é sim. Contudo, não acredito que você está me ajudando por caridade. Quem é você? E o que deseja ganhar me ajudando?

Passando esses meses estudando o grimório demoníaco, descobriu que não poderia ter acesso a todas páginas. O grimório era cheio de segredos e logo começou a perceber que o grimório tinha uma espécie de consciência própria, qual Arthur acredita ser Ars Goetia.

Além de Ars Goetia, Arthur sentia vagamente que o grimório demoníaco estava ligado à uma entidade antiga e poderosa. Era somente uma conjectura, mas agora sua conjectura provou-se correta.

O grimório foi envolto por chamas violetas, sua luz sombria iluminava todo quarto. Na página em branco surgiu novas palavras, cuja intensidade fez a alma de Arthur estremecer e sua consciência apagar por um instante.

 

Eu sou aquela que uma vez foi a Soberana dos Nove Infernos!
Eu sou aquela que uma vez aterrorizou as Nove Camadas Celestiais!
Eu sou aquela que uma vez invadiu o Submundo e roubou o poder da morte!
Eu sou a primogênita da escuridão, Deusa dos Nove Infernos, Azura!

 

As chamas violetas explodiram violentamente, girando ao redor do grimório, aonde vagamente era possível ver uma silhuete escurecida nas chamas violeta. Exalando uma opressora pressão sob Arthur como se fosse a rainha de todas coisas do mundo.

Esse fenômeno durou menos do que um segundo antes das chamas desaparecer.

Palavras cheio de agonia e tristeza surgiu na página em branco.

 

Tudo que eu desejo é minha liberdade! Desejo Vingança!

 

Depois dessas palavras, silêncio, seguido do surgimento de uma formação mágica complexa na página. No centro da formação mágica havia três estrelas interligadas formando um triângulo invertido.

Antes que Arthur pudesse entender o que estava acontecendo, a formação mágica foi ativada, disparando um feixe de luz violeta no centro da sobrancelhas de Arthur. Sua consciência foi invadida por um grande fluxo de informações.

― ….Ritual do Festival de Invocação Demoníaco……Sutra do Deus Demônio Antigo…. ― murmurou Arthur recebendo o fluxo de informações. ― Entendo….O ritual irá usar um receptáculo para criar uma vinculação de alma com uma entidade demoníaca, invocando-a como um guardião demoníaco….

 

Meu corpo original foi destruído e minha alma jogado no Grande Abismo, uma prisão que é impossível fugir. Contudo, eu deixei uma marcação espiritual no grimório. Criando uma ligação entre minha alma e o grimório, permitindo que eu possa ser invocada através do Ritual do Festival de Invocação Demoníaco.

 

― É o que você pretende usar como receptáculo? ― perguntou Arthur.

 

Vou usar o grimório e você como receptáculo para minha alma. O ritual irá entrelaçar nossas almas, nos tornando uma trindade. Iremos compartilhar o mesmo destino…..Os detalhes para realizar o ritual você já está ciente. Sutra do Deus Demônio Antigo é sua recompensa por me ajudar. Com esse sutra você poderá refinar qualquer tipo de energia em energia demoníaca.

 

― Sutra? ― perguntou ele franzindo a testa. ― Qual é o beneficio em poder refinar energia demoníaca?

 

Sutra é um dos vários nomes dado a magia antiga. O Sutra do Deus Demônio Antigo é uma das mais poderosas e raras técnica mágicas dos tempos antigos. É uma técnica de refinamento de corpo que pode reconstruir seu corpo em de um Deus Demônio das Eras Primordiais.

Para você que não é completamente humano, cujo sangue carrega uma Bloodline demoníaca antiga, o processo será mais benéfico. Uma vez que possua o Corpo de um Deus Demônio das Eras Primordiais, sua força natural e seus feitiços vão atingir um novo reino.

 

Ao ler essas palavras os olhos de Arthur se iluminaram.

― Simples assim? ― perguntou ansioso.

 

Não é tão fácil como parece. Para reconstruir seu corpo em um Deus Demônio das Eras Primordiais é necessário passar por seis etapas e reunir uma quantidade imensurável de energia demoníaca.

 

Azura, através do grimório, explicou em detalhes como funcionava a magia antiga.

O Sutra do Deus Demônio Antigo era dividido em seis etapas com nove níveis: <Demonificação> , <Arquidemônio> , <Lorde Demônio> , <Rei Demônio> , <Lorde das Trevas>, <Deus Demônio Antigo>.

Azura Havia explicado também que cada etapa do Sutra do Demônio Antigo desperta uma habilidade demoníaca. Habilidades demoníacas são tão poderosas que pode bater de frente com habilidades divinas.

 

Você carrega a Bloodline Demoníaca Ancestral do Senhor da Ruína, Lorde da Nona Camada do Inferno. Para fortalecer sua bloodline será necessário reunir uma quantidade imensurável de energia demoníaca para poder quebrar através das etapas. Apesar da dificuldade, seu corpo demoníaco será muitas vezes mais poderoso do que qualquer outro demônio da mesma hierarquia racial.

 

―….A primeira etapa é para fortalecer meu corpo e preparar para remodelação, ao quebrar para a segunda etapa meu corpo humano será remodelado no corpo de um arquidemônio… ― murmurou Arthur. ― Quanto mais etapas eu quebrar, mais forte vou me tornar…..Sinceramente, é muito mais que esperava.

 

Em parte é graças a sua bloodline ancestral, mas sem meu Sutra do Deus Demônio Antigo. Você poderia apenas sonhar em se tornar um demônio. Enfim, depois de refinar seu corpo para um arquidemônio, realize o Ritual do Festival de Invocação Demoníaco. Trabalhe duro, adeus.

 

Depois dessas palavras Azura não falou mais nada, e o grimório voltou ao seu estado normal.

― Aqueles que transcende o poder humano, sempre acabam sendo chamados de deus ou demônio ― murmurou para si mesmo. ― Por que será que não me importo em deixar de ser humano? Por causa do sangue demoníaco que corre em minhas veias?

Arthur fechou seus olhos, acalmando seu estado mental. Ele havia passado por muita coisa para um único dia.

― ….Azura… ― murmurou ele, voltando abrir seus olhos. ― Parece que acabei me envolvendo com uma pessoa problemática. Me pergunto o que ela fez para ser aprisionado em um lugar tão terrível? ― Arthur balançou a cabeça afastando esses pensamentos. ― Melhor não pensar muito nas circunstâncias de Azura, caso contrário, se alguma coisa dar errado eu não vou poder alegar inocência. De toda forma, ganhei uma novo poder que vai me deixar mais forte. Uma vez que ela me concedeu tal poder, não irá fazer mal liberta-la, certo?

Mal sabia ele que essa decisão mudaria tudo.

Com um sorriso nos lábios, abraçando o grimório demoníaco, Arthur dormiu tranquilamente.

________________________________________________________________________________

Magusgod: E aqui termina o primeiro arco da versão reescrita, o que acharam da nova versão?

O segundo arco levará um tempo para escrever, já que terá capítulos contado uma história que não tem na versão antiga. Mostrará um arco curto mostrando sua vida de aventureiro. No terceiro ou quarto arco a história voltará ao seu rumo original quando acontecerá o arco dos elfos negros.

Enfim, espero que tenham gostado 🙂

Anúncios

11 comentários em “Arcádia (Reescrito): Capítulo 15

  1. Não faz sentido ele ter uma linhagem de poder da ruína se seu pai o lhe falou que todos de sua família tem afinidade de água ou gelo, e trevas e normal para demônios.E ele tem o raro poder da ruína se é raro não seria raro para ele (seu pai) pois se toda sua linhagem deveria ter porque mesmo sua linhagem diluída tem esse poder(ou na historia de sua família deveria ter grandes magos de ruína pois sua linhagem e de um forte demônio de ruína), assim seu ancestral tinha que ter o poder do gelo ou água ou do vaco e ruína um poder que ele tem por acaso mas nada a ver com sua linhagem?

    Curtido por 1 pessoa

    1. Esse poder é parte da bloodline de Arthur. A bloodline tem vários níveis de manifestação, e a de Arthur é mais forte do que de Allan e sua família – a outros fatores no meio da mistura, mas falar sobre isso já seria spoiler.
      No futuro será explicado melhor.

      Curtir

  2. sendo bem sincero, apesar de ser ligado emocionalmente a antiga versão, é inegavel que essa versão tem uma evolução mais natural, e principalmente o encontro com azura faz mais sentido.

    Curtido por 1 pessoa

    1. Essa é uma das razões por eu ter reescrito a história.
      Como é minha primeira obra, a escrita e certas coisas não fazem muito sentido.
      Apesar de reescrever, não vou mudar o rumo que a história teve na versão antiga, mas vou adicionar novos capítulos e personagens, deixando o eventos acontecer mais naturalmente.

      Curtir

  3. magus , eu estou relendo arcádia pq é uma das minhas historias preferidas , eu não cheguei aq no 15 ainda , mas pra facilitar a conversa vou comentar aq , eu tou percebendo alguns erros basicos , e eu queria saber se vc quer q eu ajude com isso quando eu puder , uma hora ou outra eu tou livre sem fazer nada e poderia ajudar a revisar os capitulos das novels por aqui , o que vc acha ? 😀

    Curtido por 1 pessoa

    1. Seria ótimo ter um revisor para os capítulos, já que ultimamente não tenho mais tempo como ultimamente, e na maioria das vezes deixo passar alguns erro na escrita.
      Passe seu e-mail que vou adicionar no site como um editor 🙂

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s