GarteGüt (O jardim dos deuses)!

Capítulo III – A volta pra casa!

VI – Os ventos que precederam seus passos!

Mais cinco anos foram passados.

As crianças que treinavam o corpo e a mente junto dos kürchinis (N.A: Veteranos) deixavam o acampamento oculto e voltavam para a Dorf’Verbant principal do clã Fünder, onde os seus familiares viviam.

finalmente … quanto tempo já se passou? – Montado em seu cavalo, junto a trinta outras crianças, August pensava.

Durante esse tempo, muitas coisas se acumularam em sua cabeça, fazendo-o refletir bastante, por um longo tempo…

tenho uma missão, e tenho meus objetivos. Para fazer os dois, preciso de poder, muito poder. Por isso, preciso conquistar o máximo nessa Nehmen’Name.

Na planície, com todas as coisas guardadas e separadas, os Kürchinis apareceram, em seus cavalos brancos, majestosos, enquanto revelavam seus troncos, musculosos e cheios de cicatrizes, onde a velhice não parecia afetar tanto.

Sorinis (N.A: filhos), hoje em nossos cavalos voltaremos ao lar, para uma pequena pausa em nossas vidas – Gritando, para todos aquelas crianças ali presentes, o kürchin (N.A: veterano) Modnoos disse – essa pausa, chamada de descanso dos cem dias, é o momento em nossas vidas em que nos preparamos para Nehmen’Name, que é um ritual de nomeação. Nela, conquistamos nossos títulos à força e herdamos dos antepassados vossos nomes, provando o nosso valor! Cada um de vocês terá um papel no Clã Fünder, papel esse que será determinado para sempre através da Nehmen’Name.

August escutou bem.

até agora, treinei apenas para isso – ele pensava – conquistar o meu nome! O melhor dos nomes!

Na Nehmen’Name, segundo o seu pai, os nomes eram separados em classificações, sendo as Hälfte (N.A: Pela metade) de menores classificação, as Älle (N.A: Inteiro) de classificação média, as Togtono (N.A: composto) de classificação alta e as Epónymo (N.A: Último nome) de classificação divina.

A classificação do nome te classificaria no mundo dos Varbenênts, sendo aqueles de classificação mais alta, os líderes de Clãs, sendo invejado e cobiçado, apenas por um nome …

Seu pai, FünderBae, é um líder extremamente poderoso, por mais que o seu nome seja apenas da classificação Togtono.

A grande maioria de seus soldados teriam classificação Älle, enquanto halsher’drins (N.A: Governantas), ferreiros, costureiros, e pessoas de profissões comuns, teriam a classificação mais baixa, ou sequer teriam nomes próprios, mantendo aqueles dados pelos seus próprios pais por toda a vida.

August desejava obter a classificação Epónymo, que era a maior conhecida, para assim elevar o próprio Clã, assim como a si mesmo!

Agora partiremos – terminou o kürchin Böru – pois o caminho é longo e perigoso!

sim Kürchin’Hem! – As crianças gritaram em uníssono!

VI – Da Ebene Endlos (N.A: A Planície Sem Fim)!

Trotando calmamente, sentido o vento em suas bochechas, August olhou para o horizonte azul sem fim, sendo tomado por um incrível sentimento de admiração.

Fazia 8 anos desde que ele pegava o seu cavalo e caminhava pelas planícies, por isso, apenas naquele momento, ele sentiu a incrível beleza interminável que a planície causava.

uma planície, sempre reta, que se estende por milhares de quilômetros. É de se imaginar do porquê a chamarem de ‘Da Ebene Endlos’ – August pensou, intimamente, enquanto cavalgava – parece que não apenas eu cheguei nessa conclusão …

Ao seu redor, todas as crianças olhavam atentamente para frente, vendo, ternamente, aquilo que nunca acabava.

August riu para si, enquanto aproveitava o bom vento que a planície o dava, vendo ao longe os chötgor’engiin (N.A: demônios das planícies) pastar calmamente, e a natureza bailar pela brisa da tarde.

VII – O anúncio da madrugada!

Após três dias cavalgando pela planície interminável, o Kürchin Böru fez um anúncio alto, durante a madrugada:

Sorinis, trago uma mensagem da governanta Gár! – O acampamento estava montado sob as luzes pálidas das estrelas, e uma fogueira em seu centro revelava diversas crianças acordando, repentinamente, e se desenrolando de suas peles, que serviam como sacos de dormir, esfregando os seus olhos, enquanto Böru continuava – o acampamento oculto do Clã Hülzs está seguindo na mesma rota que nós! Em situações comuns, não voltaríamos juntos, mas como tem Eben’Wülves (N.A: Lobos das planícies) mais a frente segundo uma carta de FünderBae, decidimos que iremos juntos, por precaução.

August, que acordava, reparava nas palavras, sem muito anúncio, enquanto um pouco curioso:

será bom vê como as pessoas dos outros clãs são – August pensou – caso eu me torne o líder de clã dessa geração, preciso vê os meus inimigos, para ter alguma noção do poder de meus inimigos do futuro.

August voltou a dormir em seguida, junto com todos as outras crianças.

VIII – Um novo grupo se juntando a nós!

Quarto dia de viagem.

Os alunos cavalgavam rapidamente, sob o sol gélido da manhã, para se juntarem ao grupo de sorinis do Clã Hülzs.

Os Kürchinis, que cavalgaram lado a lado das crianças, não se encontravam mais com eles, tendo ido na frente durante a madrugada, forçando todos os sorinis seguirem as marcas de passos registradas no solo duro da planície sem fim.

olhem lá – Apontando para frente, uma das crianças gritou, vendo ao longe um grupo montado a cavalo – parece que chegamos!

Aproximando do grupo, professores dos dois Clãs se mostraram.

então vocês chegaram, sãs e salvos? Ha Ha Ha, não estávamos nem 10 zaid (N.A: quilômetros) longes um do outro! – Modnoos riu com desdém, tirando dos alunos, o mérito do qual eles não sentiam.

não se preocupem com esse kürchin, vocês fizeram bem – Do outro Clã, um Kürchin bem velho, chamado Flammen, de cabelos grisalhos que caíam sobre os ombros, disse – desejo boas vindas, e deixo claro que o nosso Clã os felicita.

August sentiu algo errado, essa educação polida não era algo que ele via todos os dias.

não liguem para esse bunda perfumada! – Böru se dirigiu a frente, mostrando um sorriso podre, com seus dentes amarelados e tortos – estamos pouco nos fodendo para sua educação! Só nos juntamos com seu pequeno Clã de merda porque não queremos perder nossas pernas para uns eben’wülves malditos!

Os dois kürchinis do Clã Hülzs fizeram caras feias, de desaprovação, enquanto tentavam fingir que não escutaram aquilo.

de todas as formas – Continuo Flammen – vamos tentar nos dá bem juntos!

O grupo do Clã Fünder foi integrado junto ao grupo do Clã Hülzs.

IX – Sorinis’Eben (N.A: Crianças das planícies)!

Seguindo a viagem, os sorinis dos dois Clãs se mantinham firmemente juntos.

No começo, as crianças de ambos os lados, foram tímidas, mas durante a tarde já começaram demonstrar alguma animosidade uns para os outros, sendo que perto da noite, uns já eram amigos dos outros, sem nenhum problema.

August, no entanto, que era normalmente quieto, não falava com ninguém, mantendo-se em certa distância das crianças enquanto observava o sol que já começava a se pôr.

Nada daquilo importava para ele, ir com o seu Clã ou ir com outro, desde que ele fosse, tranquilamente, sem ser perturbado.

Porém, para a sua inocência sem fim, nada daquilo seria permitido, pelo menos, não naquela viagem.

Andando na esquerda da horda de sorinis, August encontrou, perto da noite, uma garota em especial, que roubou-lhe a atenção a toda hora, mas que ele havia percebido apenas naquele momento.

Era estranho, mas ele sentia alguma necessidade quanto a ela, algo que não poderia passar em branco. Que fazia sua alma flutuar num instante, penetrando sua espinha com agulhas geladas e irritantes.

Vendo-a de frente, com os seus cabelos cor de palha e olhos um pouco puxados e verdes, August concluiu em sua cabeça:

é ela, Modna’Götvhin! – enquanto pensava, a imagem do contrato logo passava por sua cabeça.

VIII – Sie (Ela)!

No dia seguinte, ao perceber quem era aquela garota que roubava sua atenção inconscientemente, August decidiu se manter próximo dela.

Segundo o seu pensamento, ele precisava conhecê-la, para quando ele visse o momento certo, tê-la, sem se preocupar com desvios ou necessitar se socializar desde o início.

Caso pudesse também, ele desejaria formar alguma amizade com ela, enquanto ainda era deveras jovem.

pessoas dessa idade são como papéis em branco – August pensava maliciosamente – sem complexos, sem relações, sendo apenas elas mesmas, na mais vil inocência. Se eu conseguir firmar um relacionamento neste ponto, a próxima vez que eu a vê-la, será bem mais fácil me aproximar.

Cavalgando atrás da menina que conversava, August se manteve em pensamentos obscuros.

assinar um contrato vitalício faz ser necessário esforços a longo prazo! Por mais que eu odeie falar com crianças, terei que me tornar a pessoa mais interessante do mundo para aquela pirralha!

August se aproximava e escutava suas conversas, enquanto tentava buscar uma brecha para adentrar no assunto.

não deve ser difícil falar com algumas crianças! – August imaginou.

ei, Vogel – Uma menina de cabelos negros e sardas disse. Aparentemente o seu nome era Dornen’Göthvin – você já percebeu como aquele menino do Clã Fünder, sabe, de nome Khar’Sorim é alto? Ele deve ser um forte guerreiro, talvez o melhor entre os outros!

Vogel’Göthvin, que era morena, de cabelos curtos e olhos negros, semelhantes a abismos, respondeu:

não sei, mas acho que aquela garota chamada Melinda’Götvhin é bem mais forte! Vi ela lutar contra alguns garotos na noite de ontem, sua maestria de espada era encantadora!

será que ela é mais forte que você? – perguntou Dornen, com um sorriso provocativo no rosto.

será? Não sei? Mas acho que se eu lutasse com ela tudo ficaria mais divertido! – Vogel continuou com um sorriso – lutar com pessoas fortes sempre é divertido, principalmente quando você é forte!

hã? Se você diz! – Dornen olhou para Modna – e você, quem você acha que é o mais forte do Clã Fünder?

Modna, que ficou calada durante toda a conversa, levantou a cabeça, de supetão, enquanto via, surpresa, sua amiga com um sorriso.

Com os lábios trêmulos, um pouco nervosa, ela ia se colocar pra responder, porém, Vogel decidiu fazer isso por ela.

acho que ela está interessada naquele garoto – August, que estava próximo suficiente pra ouvir, ficou com a respiração arfada em curiosidade – acho que o nome dele é Modnoos’Sorim, neto de um dos kürchins. Desde que nos encontramos com esse grupo ela não tira os olhinhos dele. Se isso não é paixão, então eu não sei o que é!

Dornen também riu da amiga que se encolhia, sendo incapaz de esconder o rubor de suas bochechas.

August, que estava atrás, começou a calcular e ponderar, enquanto se mantinha próximo por todo o caminho.

Sem muito pensar, ele já teve uma boa ideia do que fazer.

X – Feito!

as meninas admiram a força! – August pensou – a força é tudo, pois apenas os fortes prosperam nessa planície sem fim e cruel, logo, as meninas admiraram a força! Então, para ser atraente as garotas, preciso mostrar a minha força! Para tal, preciso encontrar uma boa oportunidade para me mostrar!

Já perto do fim da noite, August montava uma fogueira junto com outras crianças do Clã Hülzs, o que era estranho. Como August normalmente era quieto e não se interessava em se relacionar com outras crianças, ele montava sua fogueira sozinho e um pouco ao longe do aglomerado. Mas hoje, como ele precisava do mínimo de interação social para botar seu plano em prática, August decidiu ficar um pouco próximo das outras crianças.

então, você jovem fantasma … – Ao seu lado, um garoto de pele negra e cabelos negros, bem lisos, que caíam sobre seus olhos, como uma franja, disse, tentando se aproximar. O seu nome era Nar’Sorim – nunca vi alguém tão branco como você! E os seus olhos, eles são vermelhos, como sangue! Meu pai dizia que pessoas como você não podem sair pro sol, porque a pele queimava!

August não queria responder, mas pois um sorriso no rosto. Ele queria ser um pouco agradável, e chamar um pouco de atenção, para, caso houvesse mesmo uma briga, todos pudessem vê-lo e reconhecê-lo rapidamente.

ando pelas sombras das nuvens, por isso não me queimo – August respondeu, de forma abstrata, mas que, certamente, atiçaria a curiosidade do menino, que logo respondeu:

o que isso quer dizer?

August sorriu com a resposta, já que ela foi exatamente como ele imaginava.

isso quer dizer que os deuses, em seus tronos, fazem sombra, para que eu não me queime.

O menino ficou boquiaberto com surpresa e bateu palmas, porém um menino que estava ao lado, que ouviu, não havia gostado muito.

você quer dizer que os deuses fazem sombra só para você? Que bobagem – Esse menino, parrudo, de cabelos castanho e pele parda, meio amarelada, disse enquanto jogava alguns pedaços de lenha, na fogueira apagada. Seu nome era Roh’Sorim – os deuses fizeram um mundo justo, onde todos pudessem prosperar igual! Me dizer que você é o favorito dos Deuses é bobagem!

August riu internamente, o plano que ele havia montado em sua cabeça estava se saindo extremamente bem, sendo que nenhuma parte estava saindo fora do lugar.

se fosse assim, caro Hülzs, os shidten do norte e do sul não seriam fluentes no Flutcher, os pobres Khuroinis (N.A: Povos das Florestas) do leste não viveriam isolados e com medo, e os kleinis (N.A: Pequenos) não seriam oprimidos pelos Drachenis (N.A: dragões) das montanhas – August encarou firme o jovem Roh, que quase bufava desgraças ao ouvir as respostas – talvez os deuses tenham feito o mundo justo, porém os seres que nela o habitam, corrompeu, toda a ideia, do início ao fim!

Nar’Sorim, que ouvia ao lado, não sabia se toda aquela enxurrada de informações estavam corretas, porém, da forma como August falou, ele não pode deixar de balançar a cabeça.

Até Roh’Sorim sentiu que tudo fazia sentido, mesmo reconhecendo só uma parte ou outra de tudo aquilo que August falou.

Na verdade, nem August sabia da procedência daquelas informações, sendo que tudo o que ele disse, foi apenas baseado nos contos e lendas que o seu pai lhe contava quando ele era muito jovem.

pare de ser um Ketzer e falar bobagens! Ninguém corrompeu nada! O mundo ainda é justo, quando se é justo! – Porém, como uma criança, Roh’Sorim não podia engolir o seu orgulho, falando qualquer coisa que viesse na sua cabeça.

August gostou do ato, ele sabia que aquilo representava desespero e raiva. Por isso ele decidiu se manter falando, no volume mais alto possível, para chamar o máximo de atenção.

justiça? Justiça não existe, apenas sobrevivência! Se fosse assim, quando nos aproximássemos de um chötgor’engiin com nossas espadas, para degolá-los, eles revidariam, pela justiça de ter uma capacidade tão grande de sobreviver, como um humano, ou um klein, ou um khuroin!

Roh’Sorim se levantou, rapidamente, com um galho na mão, apontando para August, como se fosse uma espada.

fica quieto seu Ketzer, seu fantasma! Para de ficar falando asneiras! – suas bochechas estavam vermelhas de raiva, e uma névoa branca até saia de suas orelhas e poros.

August não ficou parado e pegou, também, um galho da fogueira, se levantando e gritando, tão alto pode:

se você não quer escutar a verdade, tape os ouvidos – August tentava fazer a careta mais provocativa que ele conhecia – ou, então, me cale!

eu vou fazer você ficar quieto! Comendo terra – Nar’Sorim não impediu os dois, na verdade ele queria ver uma boa briga, enquanto as crianças ao redor se aglomeravam, para ver os dois!

Ninguém se importava com o irritado Roh’Sorim que proferia maldições enquanto encaixava o galho firmemente em suas mãos.

então venha!

Ao redor de August, só haviam crianças do clã Hülzs, o que para ele era sorte, já que, com sua fama entre as crianças do clã Fünder, talvez todos fossem afugentados nos primeiros sussurros sobre a sua força.

Talvez o único ponto negativo do seu plano era que Modna’Götvhin não se encontrava por perto, fazendo August suspirar um pouco.

isso não me preocupa, só preciso ficar um pouco famoso. Assim, de boca a boca, essa minha pequena luta chegará a ela.

Na sua frente, Roh’Sorim se projetava para atacar August diagonalmente, o que o surpreendeu apenas um pouco, enquanto desviava facilmente para o lado.

O golpe deixou algum rastro de vento, que fez os cabelos prateados de August se mover um pouco, sem deixar nenhuma marca em August, que pensava:

parece que esse menino tem algumas técnicas de batalha, o que é realmente impressionante!

Roh’Sorim ficou impressionado, ele não imaginava que aquele garoto, tão branco quanto papel, conseguiria desviar tão facilmente assim de seu golpe.

ele conseguiu escapar por pouco desse golpe?! Ou será que ele fez isso de propósito – Roh’Sorim sentiu que, nem se ele treinasse por dez anos, ele conseguiria acertar um golpe em August.

como isso! Ele conseguiu desviar da prisão dos deuses? Esse não era o golpe mais forte de Roh’Sorim? – Ao longe, algumas crianças começaram a gritar, enquanto na cabeça de August, ele já desvendava algumas coisas sobre o garoto.

então esse menino é realmente forte? Isso apenas fará a batalha melhor! – August pensou enquanto estabilizava, facilmente, o seu corpo – vou tentar lutar com ele apenas com vinte por cento do meu poder total. Quero terminar isso rápido, ao mesmo tempo que quero dar a impressão de ter dado uma chance para ele.

Roh’Sorim externamente bufava de ódio, mas internamente, sentia um medo irracional, fazendo-o usar seu segundo trunfo:

desmembramento!

Roh’Sorim avançou, atacando horizontalmente, com toda a força de seus ombros e braços, para a parte externa do abdome de August.

parece que ele também tem outros trunfos, interessante! – August se manteve em pensamentos enquanto dava um simples passo para trás, fazendo que todos tivessem a impressão de que o golpe devastador fosse apenas desesperado e amador.

Roh’Sorim até estalou a língua em raiva, enquanto, internamente, ele finalmente chegava a uma conclusão:

esse menino é invencível!

August percebeu todo o fingimento de Roh’Sorim, sentiu que já era hora de terminar a luta.

Prolongar mais seria bem chato e tedioso.

bem, você tem sua força – Porém, August não gostaria de nocauteá-lo sem antes humilhá-lo, pelo menos, um pouco – mas você não é tão forte quanto o Bae’Sorim aqui.

Bae’Sorim!

Todos as crianças ao redor ficaram imaginando o porquê desse nome ser tão familiar.

cala sua boca! Vou te mostrar o que eu sei fazer!

Com o orgulho queimando e bufando de raiva, Roh’Sorim se preparava para lançar o seu último trunfo.

armadilha do demônio!

Roh’Sorim avançou pela terceira vez e projetou o seu corpo de forma a aparentar que agarraria August, aumentando assim, a sua sombra, para todos ali presente, menos é claro, para August, que ria internamente.

Ele já imaginava a finta que aquele pequeno lutador faria, já preparando um contra-ataque mortal, que mostraria a todos um pequeno fragmento sobre a extensão de seu poder!

[Thack!]

impossível!

Roh’Sorim, ao se aproximar, tentou fazer um movimento súbito de corte, com sua espada, movendo ela, internamente, em direção ao queixo de August, que previu, aparando o golpe, com a pouca força de seu pulso, fazendo um movimento extremamente complicado com o seu ombro.

Os galhos deslizaram com a força exercida por Roh’Sorim, fazendo o seu golpe passar por um centímetro do queixo de August. Em contrapartida, a ponta do galho de August contra-atacou a de Roh’Sorim, batendo fortemente em seu pulso, fazendo sua mão abrir num espasmo.

August riu, muito friamente, internamente.

isso que dá enfrentar uma pessoa com mais de vinte em agilidade!

Durante esses cinco anos, treinando diligentemente, August melhorou significativamente, tendo a capacidade, até, de enfrentar adultos médios, com toda a sua força e sofrendo alguma dificuldade.

Todas aquelas crianças juntas não seriam de nada para ele.

impressionante! – As crianças estavam boquiabertas – ele desarmou o Roh com apenas um movimento! Sem nem mesmo se mexer.

isso é … quem é ele?

Roh’Sorim era um dos melhores lutadores de nosso Clã! Perder assim? Será que o Clã Fünder é mesmo tão forte?

Roh’Sorim caiu de joelhos no chão, descrente.

Ele não sabia ao certo o que aconteceu, porém ele podia chegar na conclusão que nunca na vida ele poderia enfrentar August de frente.

esse efeito … foi muito grande! – August sorria, enquanto pensava – mesmo não fazendo quase nada, eu consegui me apossar de tal fama! Ha Ha Ha! Ela vai ficar impressionada, tenho certeza disso.

Recolhendo alguns galhos da fogueira, ainda apagada, August se moveu para longe, como uma pessoa sombria e misteriosa, apenas para aumentar o efeito dos seus feitos.

amanhã, quando eu me aproximar dela, falarei! Com certeza ela responderá de volta, não tenho dúvidas disso!

Nota do Autor:

chötgor’engiin é como uma vaca ou um boi. O termo escolhido veio do mongol, sendo que eu interpretei as características de uma vaca (Os chifres, a face, o rabo) sendo semelhantes às de um demônio genérico.

Anúncios

4 comentários em “GarteGüt (O jardim dos deuses)!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s