Histórias de um cavaleiro: Capítulo 13

Batalha na Aldeia do Lago! (Parte 2 Final)

 

 

 

No telhado de uma casa próxima, Evelly vigiava os arredores. Ela estava começando a ficar ansiosa pela demora de Adam. Mesmo que soubesse que ele era forte, não pode deixar de temer pelo pior. Alguns minutos depois, soltou um suspiro de alívio, ao ver Adam saindo do estábulo em segurança…..Embora agora estava com ciúmes da jovem de cabelo preto, enrolada em uma capa, nos braços de Adam .

 

― Espero que o pior não tenha acontecido com essa garota ― murmurou para si mesmo, mudando seu foco para a paisagem de desolação que se encontrava a aldeia.

 

Metade da aldeia estava em chamas. Era possível ver cadáveres dos moradores por toda parte, e também dos guerreiros que ela abateu com suas flechas mortais.

 

― Por que atacaram essa vila? Se fosse uma questão de fazer riqueza fácil, há melhores opções do que uma pequena aldeia nos confins da civilização….Sete guerreiros….Pelos equipamentos não eram um mero grupo de bandidos…Temo que eles são apenas alguns guerreiros que separou-se do grupo maior.

 

Logo ela descobriu que estava certa.

 

No horizonte avistou um grupo de homens montados a cavalo indo em direção à vila. Eram liderados por um guerreiro vestindo um conjunto completo de armadura pesada. Rosto protegido por um elmo de placas faciais.

 

O guerreiro de armadura carregava um grande martelo de guerra nas costas.

Sem estandartes, gritos de guerra, ou qualquer sinal que pudesse identificar a filiação do grupo de homens armados.

 

Evelly assobiou e fez sinais de mão para Adam, alertando sobre aproximação de um bando de homens armados.

 

Adam colocou a jovem gentilmente no chão e falou:

 

― Fique aqui.

 

―….Não…. ― disse a jovem em pânico, puxando a mão de Adam. ―…Senhor, não me deixe sozinha…

 

― Vai ficar tudo bem ― disse ele num tom afável. ― Ela estará de olho nos arredores ― apontou um dedo para Evelly no telhado de uma das casas. ― Se um daqueles desgraçados se aproximar desse lugar, vão ter uma flecha cravada bem no meio do traseiro.

 

Enquanto tranquilizava a jovem de cabelo preto, podia ouvir os sons dos cascos de cavalos batendo contra a terra, as respirações das montarias, os gritos de seus cavaleiros.

 

― Tenho que ir ― disse Adam com firmeza.

 

De forma relutante, ela soltou a mão de Adam.

 

―….Tenha cuidado senhor… ― murmurou Chloe.

 

Adam apenas sorriu e pegou uma lança caída no chão. Correu para entrada da aldeia, vendo os homens armados montados a cavalo alinhados de forma desorganizada. Quando entraram na faixa de cinquenta metros de distância, ele mirou em um dos guerreiros e jogou a lança como um dardo.

 

Devido a grande força natural de Adam, a lança recebeu um grande impulso, atingindo uma incrível velocidade. A lança seguiu sua trajetória como um raio, seguido pelo som assobiante da lança perfurando o ar, atingindo um dos homens montado a cavalo.

 

A ponta da lança avançou, rompendo a cota de malha, perfurando seu pulmão, jogando-o para fora da sela do cavalo com ímpeto.

 

― Hum….Errei feio o coração! ― resmungou Adam. ― Preciso treinar mais minha pontaria!

 

Vendo que a morte do guerreiro não afetou o avanço dos guerreiros restante, Adam deu um passo em frente, formando selos com as mãos. Puxou todo ar ao seu redor, conforme suas mãos juntas formavam selos diferentes em uma incrível velocidade.

 

― Sutra do Vento:【Explosão de Vento】!

 

(Magusgod: A partir de agora Técnica de Liberação do Vento vai mudar para Sutra do Vento. Para curiosidade, No Budismo, o termo “sutra” se refere de forma geral às escrituras canônicas que são tratadas como registros dos ensinamentos orais de Buda Gautama.)

 

Em seguida, soprou um vento terrível que se tornou uma explosão de vento, arrancando o telhado das choupanas e lançando uma onda de neve para cima do bando de homens armados.

 

O avanço da cavalaria foi parado pela forte ventania e onda de neve. Houve um caos de relincho. Os cavalos agitados jogaram os guerreiros atordoados da sela e fugiram na direção contraria.

 

De cima do telhado, menos de cem metros de distância dos guerreiros caídos, Evelly puxou a corda de seu arco composto até que começar a estalar, disparando em seguida uma flecha de pena branca.

 

Sua pontaria era precisa e mortal, atingindo o pescoço de um guerreiro que se levantava, tingindo a cota de malha com sangue fresco. Retirou outra flecha de pena branca da aljava, disparando precisamente contra outro guerreiro atordoado, matando-o instantaneamente.

 

Uma flecha. Um disparo. Uma morte.

 

Não era diferente de tiro ao alvo com bonecos de palha….Embora ela estivesse atirando contra pessoas vivas.

 

Essa era uma tática que eles usavam contra grandes grupos de monstros. Primeiro Adam atacava com a técnica do Sutra do vento【Explosão de Vento】, deixando-os atordoados. Em seguida, Evelly com sua precisão mortal, finalizava os alvos com suas flechas.

 

Embora fosse a primeira vez que usavam essa tática contra seres humanos, revelou-se muito eficaz.

 

Do grupo de guerreiros, apenas cinco sobreviveu a chuva mortal de flechas.

 

― Eu cuidarei deles sozinhos! ― gritou Adam. ― Pegue a garota! Leve para a cabana!

 

― Ok! Vou deixar toda diversão com você! ― gritou de volta, antes de deixar o lugar de forma relutante. ― Tome cuidado!

 

Bem, vamos colocar tudo que aprendi com Amalia em prática, pensou ele desembainhando Cuspe de Vento.

 

Adam usou seus <olhos celestiais> para avaliar os cinco guerreiros.

 

Ele podia ver a aura dos cinco guerreiros e seus sistemas de circulação de energia, assim como se eram ou não cultivadores. De todos, apenas um tinha uma base de cultivo, sua aura era de um marrom escuro, aura de um manipulador da terra.

 

O restante eram apenas guerreiros normais.

 

― O que devemos fazer Chefe Oleg? ― perguntou um dos guerreiros em pânico. Todos voltaram seus olhares para o homem vestindo conjunto completo de armadura, exalando um tenso ar opressor.

 

― Pelo ataque anterior, esse garoto é um manipulador do vento….Temos que o eliminar rapidamente e retornar para grupo principal antes deles começarem o assalto ao castelo! Não quero chegar atrasado à festa!

 

Apesar de sofrerem algumas perdas, Oleg não estava preocupado. Seu oponente era apenas um adolescente, em termo de força, fonte de energia e experiência de combate, como ele poderia ser superado por um garoto?

 

― Formem uma parede de escudo e mostrem para esse garotinho como homens de verdade lutam!

 

― Sim, chefe! ― gritaram os quatro guerreiros, juntando seus escudos, em linha reta, formando uma pequena parede de escudo.

 

Oleg ficou atrás da formação, movendo as mãos em selos, preparando para lançar uma forte técnica do Sutra da Terra.

 

― Agora! ― berrou um dos guerreiros. ― Joguem as lanças!

 

Os quatro guerreiros jogaram suas lanças contra Adam.

 

Adam continuou avançando, não se preocupando com as lanças que zuniam em sua direção. Ele ativou a técnica【Vento Cortante】apenas com um gesto, interceptando as lanças afiadas com lâminas de vento.

 

Vendo o ataque sendo defendido tão facilmente, chocou todos os guerreiros.

 

A calma com que ele se movia e contra atacava, era desconcertante.

 

― Não fiquem parados! Avancem! ― berrou Oleg com um semblante sombrio.

 

Recebendo ordens de seu chefe, eles avançaram, ombro a ombro, escudos sobrepostos. Berravam insultos, caretas distorcidas, batendo as espadas contra o escudo.

 

― ….Tão patético.

 

Essa foi as palavras de Adam após soltar um longo suspiro.

 

Ele se atirou sobre a parede de escudos, quebrando a formação com um poderoso golpe de espada envolto por um forte vento. Ele entrou em uma batalha feroz contra os quatro guerreiros, colocando em prática tudo que aprendeu nos últimos meses de treinamento.

 

Por reflexo e instinto, eles se defendiam dos ataques rápidos e ferozes de Adam. Cada vez que as espada daqueles veteranos guerreiros se encontrava com a lâmina da Cuspe de Vento, provocava uma chuva de fagulhas e o som estridente de metal batendo contra metal.

 

Embora fossem quatro homens adultos lutando contra um único adolescente, eles mal conseguiam deter cada golpe. Apesar da aparência fina e delicada de Adam, o poder por trás de cada golpe não era algo para ser subestimado.

 

Depois de uma breve troca de golpes, eles estavam com os braços dormentes, ofegantes, rostos vermelhos por causa do esforço. Em suas expressões havia um forte sentimento de descrença.

 

Por mais que não fossem manipuladores elementais, eram guerreiros profissionais e tinham certo nível de força e experiência de combate. Mesmo que o jovem adolescente fosse um manipulador elemental, a força por trás de cada golpe não condiz com sua idade e o corpo físico.

 

Era simplesmente inacreditável que eles não fossem capazes de lidar com só uma pessoa.

 

― O que no mundo é esse jovem?! ― berrou um dos guerreiros.

 

Ao invés de continuar atacando, Adam recuou para trás e lançou um olhar para os quatro guerreiros.

 

Enquanto Oleg mantinha parte de sua concentração na formação dos selos de mão. Outra parte acompanhava a luta e sabia que a luta havia chegado ao fim.

 

A diferença de força entre o jovem e seus subordinados era gritante.

 

― Obrigado por me acompanharem! ― disse Adam, esboçando um sorriso diabólico. Em seguida colocou a palma da mão esquerda sobre a lâmina da cuspe de vento, deslizando para frente conforme ativava uma nova técnica que havia aprendido. ― Sutra do Trovão:【Lâmina Trovejante】!

 

A lâmina foi coberta por raios.

 

Adotou uma posição de ataque estranha, embainhou cuspe de vento e ativou a segunda forma da Técnica de Saque Rápido.

 

― Técnica de Saque Rápido, Segunda Forma:【Trovoada Mortal】!

 

Ao desembainhar Cuspe de Vento em alta velocidade, disparou quatro raios de eletricidade.

 

A trajetória era irregular, movendo-se em ziguezague.

 

O ataque repentino os pegou de surpresa. Sem tempo para esquivar ou defender, foram atingidos pela Trovoada Mortal, liberando um clarão deslumbrante.

 

Quando o clarão de luz cessou, os quatros guerreiros caíram no chão, liberando fumaça e um cheiro terrível de carne queimada.

 

Impossível….Essa golpe não é a técnica secreta da Valquíria Sagrada, Amalia? Pensou Oleg assustado.

 

A Condessa Amalia era conhecida oficialmente como Valquíria Sagrada dos Ventos Cortantes, mas era também notoriamente conhecida como “Valquíria da Tormenta” por causa da técnica secreta da Casa MacCallum, Trovoada Mortal.

 

Pensando nos feitos da ilustre Condessa Amalia, lembrou-se dos boatos que circulavam sobre seu filho. Não eram poucos os boatos. Nos últimos anos, da geração mais jovem, não se ouvia outra coisa se não dos feitos do jovem MacCallum.

 

Quando seus olhos se encontraram com os do jovem que avança de forma orgulhosa, ele teve uma certeza: ele era o filho da Condessa Amalia, Adam Elliot MacCallum, O Falcão Branco de Ainny.

 

♠♠♠

 

 

Ao terminar os selos de mãos necessários, a energia da natureza dentro de seu corpo explodiu para fora, lançando uma aura opressora. Oleg pisou com força no chão e bateu as palmas das mãos com um estrondo.

 

― Sutra da Terra:【Grande Fúria da Terra】!

 

O ar estremeceu com seu rugido e a terra ondulou, como as ondas de um mar agitado, se erguendo do solo de forma imponente. A onda de terra, com aproximadamente 5 metros de altura e 7 de comprimento, avançava com um aterrador poder de destruição, varrendo tudo em sua trajetória.

 

O guerreiro Oleg manteve as palmas das mãos unidas, mantendo com grande esforço o controle da onda devastadora de terra. Suor cobria todo seu rosto, sua respiração era pesada. Ativar a Técnica Grande Fúria da Terra, utilizava uma grande quantidade de energia da natureza, além de impor um grande esforço físico e mental.

 

― Hahaha…Quero ver você conseguir escapar! ― rugiu Oleg, certo de sua vitória. ― Não há como se defender da Grande Fúria da Terra!

 

Adam olhou com seriedade a devastadora onda de terra vinda em sua direção.

 

Embora não tivesse muito conhecimento sobre Técnicas do Sutra da Terra. Sabia o suficiente para não acabar sendo pego em técnicas perigosas durante uma batalha contra outro especialista.

 

É uma dessas técnicas perigosas era a Grande Fúria da Terra – por ser uma técnica de grande poder destrutivo e amplo alcance, era muito utilizada por manipuladores da terra veteranos.

 

Adam circulou energia da natureza em suas pernas, ativando a Técnica Marcial <<Movimento em Alta Velocidade>>, disparando para trás, correndo em alta velocidade por entre as choupanas.

 

A onda de terra seguiu atrás dele com voracidade, destruindo sem resistência todos os obstáculos no caminho.

 

Ele saltou para cima do telhado de uma casa, movendo as mãos com uma incrível velocidade, ativou a técnica【Armadura do Senhor do Vento】, criando ao redor de seu corpo um vento feroz, circulando de forma protetora.

 

Adam pegou impulso, saltou para o alto, passando diretamente por cima da onda devastadora de terra.

 

Ao aterrissar no chão correu explosivamente em direção ao guerreiro.

 

Adam desembainhou Cuspe de Vento, atirou várias lâminas de vento em direção ao guerreiro Oleg.

 

― Droga! ― praguejou Oleg, formando novos selos de mãos. ― Sutra da Terra:【Parede de Terra】!

 

Ele pisou com firmeza no solo, fazendo uma robusta parede terra surgir do chão, interceptando as lâminas de vento feroz. Em seguida formou novos selos de mãos, ativando uma técnica de Sutra da Terra nível básico, disparando uma série de pedregulhos em alta velocidade contra Adam.

 

Adam correu em ziguezague evitando a maioria dos pedregulhos que explodiam na terra nevada. Os projéteis que não conseguiu esquivar colidiam com a barreira de vento ao redor de Adam, se desfazendo em poeira sem causar o menor dano.

 

― Porra! Quanta energia da natureza ele tem para poder continuar mantendo a técnica Armadura do Senhor do Vento?!

 

Embora Armadura do Senhor do Vento fosse conhecida como uma das melhores técnicas defensivas do Sutra do Vento. Todos sabiam que era uma técnica que tinha uma alta taxa de consumo de energia da natureza, tornando assim inviável mantê-la ativa por muito tempo. Era normal manipuladores do vento ativar essa técnica somente em momentos críticos e logo desfaze-la.

 

Contudo, o jovem a sua frente parece que tinha uma fonte ilimitada de energia da natureza, mantendo ativa Armadura do Senhor do Vento.

 

Adam continuou avançando como uma ventania imparável. Em pouco tempo entrou em combate corpo a corpo contra Oleg que contra atacava com seu enorme martelo da terra.

 

Cada golpe do martelo de guerra passava zunindo poucos centímetros de sua cabeça.

 

Os golpes de seu oponente eram tirânicos. Ele não ousava bloquear aqueles ataques com sua espada curta. Porém, os golpes do oponente eram muito lento e fácil de esquivar.

 

*Clang! Clang! Clang! Clang!*

 

Adam desferiu uma enxurrada de golpes perfurante com a Cuspe de Vento, provocando um ruído metálico ensurdecedor ao atingir a robusta armadura do oponente.

 

― Com essa Espadinha não conseguirá nem arranhar minha armadura! ― rugiu o cavaleiro descrevendo longas varreduras com o martelo de guerra. ― Seja homem de verdade e pare de esquivar como um rato! Encare-me de frente!

 

Adam pulou para trás, ficando 5 metros de distância de Oleg.

 

Ele franziu a testa perguntando-se por que cuspe de vento não conseguia perfurar a armadura. Usando seus <olhos celestiais>, logo descobriu que o oponente estava circulando energia da natureza ao redor da armadura, aumentando sua resistência natural.

 

― Tudo bem! ― disse Adam com um sorriso frio. ― Mas temo que você vá se arrepender.

 

Oleg apenas gargalhou e apertou firme o cabo do martelo de guerra, pronto para esmagar seu crânio.

 

Adam embainhou Cuspe de Vento e respirou fundo.

 

― Você será o primeiro que vai receber essa minha técnica marcial criada por mim ― disse Adam apontando as mãos para frente em forma de palma. ― Será rápido e talvez você nem saiba como morreu.

 

Adam circulou energia divina pelos canais de poder. Seu cabelo chicoteou para cima e seu corpo foi coberto por uma tênue luz resplandecente. Naquele momento toda sua capacidade física aumentou drasticamente.

 

―…..Que porra é essa! ― exclamou Oleg, vendo aquele jovem emanando uma aura opressora e sufocante.

 

De repente a imagem do jovem cintilou e, para sua surpresa, reapareceu bem diante de seus olhos, movendo o braço para frente, golpeando o peitoral da armadura com um golpe de palma.

 

Ele sentiu uma dor latejante no peito e o sangue subindo pela garganta.

 

Esse único e simples golpe de palma reverberou com o som de pancada surda. A força por trás do golpe foi tão tirânico que o fez erguer 10 centímetros do solo.

 

― Toda essa força…

 

Para ele era como se tivesse sido atingido por uma marreta.

 

Antes que seu pé voltasse a tocar o solo, a imagem do jovem cintilou novamente e reapareceu bem atrás do cavaleiro golpeando com outro ataque de palma de mão.

 

*Bang! Bang! Bang! Bang!*

 

Cada golpe da tempestade de silhueta de imagem de Adam, era como estrelas cadentes radiantes, atingindo o corpo do cavaleiro, explodindo com uma força de vibração devastadora.

 

A tempestade de ataque continuou até o centésimo ataque de palma.

 

Adam voltou para sua posição original, contemplando a cena do guerreiro ensanguentando caindo do alto. Ao atingir o solo produziu um som molhado – um som parecido com o ato de jogar um pano molhada contra o assoalho de madeira -, criando uma poça de sangue ao redor do corpo.

 

Armadura amassada. Órgãos internos devastados, ossos triturados e canais de energia quebrados.

 

O guerreiro Oleg estava morto.

 

― Bem, tenho que dar um nome a essa técnica…100 Palmas Tirânicas? Não. Definitivamente não…100 Palmas Divinas? Também não… ― balbuciou, enquanto analisava o cadáver sangrento. ― Por hora não tem importância, deixarei a nomeação para outro momento.

 

Seus olhos dourado encarou a aldeia.

 

Metade da Aldeia havia sido incendiada, enquanto outra parte havia sido destruída pela onda devastadora de terra.

 

O modo que Adam lutava poderia ser descrito como discreto. Durante o treinamento, sua mãe, havia falado que lutas entre manipuladores elementais geralmente são violentas e mortais. Diferente de um guerreiro não cultivador, que pode causar estragos somente ao alcance de sua arma. Manipuladores elementais tem um alcance bem mais amplo, e o nível de estrago que podem causar não era algo a ser levado de ânimo leve.

 

― ….Havia pensado que fosse exagero, mas pelo visto ela estava falando a verdade. Eu deveria ter capturado um deles vivos para saber seus objetivos…Melhor eu retornar logo para o castelo…..

 

Adam viu novas colunas de fumaça surgir no horizonte.

 

Desconfiava que o vilarejo estivesse sob ataque, tinha um péssimo pressentimento sobre objetivo daqueles guerreiros.

_________________________________________________________________________

Magusgod: Chegamos ao fim de um capítulo cheio de batalhas. O que acharam das lutas nesses dois capítulos?

Bem, ficarei um tempo sem postar histórias de um cavaleiro, por que vou estar reescrevendo a história. Não se preocupem, não vou alterar o rumo da história atual, vou mudar apenas alguns pontos da história como o encontro de Adam com o ser no espaço branco e os poderes que ele vai obter dele, assim como vou mudar sobre o sistema de poder atual. Ao invés de energia da natureza vou deixar como poder mágico, mana, ou algo dessa linha.

Fora essas mudanças não haverá alteração dos personagens ou do rumo atual da história.

Que todos tenham uma boa tarde 🙂

Anúncios

2 comentários em “Histórias de um cavaleiro: Capítulo 13

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s