01 – Roubando da Escola Imperial

— Ei Pullan, você tem certeza de que isso vai dar certo? — Perguntou Zorgnatron.

— E porque não daria? Somos três crianças incapazes de manipular o Shakti, e por causa disso, nossa presença não pode ser sentida por nenhum dos instrutores, já é tarde da noite e todos pensam que estamos dormindo, esse é o plano perfeito, não é Berg? — Disse Pullan cheio de confiança e empolgação.

— Na..Naa.. Não sei, só estou aqui pelos doces. Meu trabalho foi apenas saber a hora em que cada um dos instrutores sai para jantar, o resto é com vocês. Se tivermos alguma chance, eu acho que realmente é agora.

— Tá vendo, o Berg sabe das coisas, você não devia se preocupar tanto assim. — Disse Pullan cheio de si.

— Não devia é? Você já se esqueceu de quando nós fomos espiar as meninas no banheiro? — Disse Zorg em um tom cheio de revolta.

— I… Isso é diferente. Quem iria imaginar que aquela velha enrugada da Tsubaka iria escorregar e cair pelada bem na frente do nosso esconderijo? — Disse Pullan meio alterado.

— Ma… Mas Pullan, uma caixa de papelão em baixo do banco nunca foi um bom esconderijo. — Disse Berg.

— Fica quieto Berg! Você nem estava lá. Pra seu governo, Zorg e eu pintamos a caixa da mesma cor que os bancos onde as meninas trocavam de roupas, o plano era infalível! — Disse Pullan exaltadamente.

— Infalível foi o castigo dos instrutores, até hoje a minha bunda dói só de lembrar. — Disse Zorg.

— Vamos esquecer esse assunto, hoje definitivamente não tem como esse plano dar errado. — Disse Pullan enquanto seus olhos brilhavam.

— É… É verdade, vamos roubar esses doces e depois criar uma rede de tráfico na escola, e ficarmos ricos. Hahahahaha! — Disse Berg enquanto seus olhos brilhavam cada um na forma de um cifrão dourado.

— Só se for você, o que eu quero mesmo é comer esses doces, me digam, quando foi a última vez que vocês comeram doces de tão alta qualidade? — Disse Pullan com água na boca.

— Hoje, no café da tarde. * Aaaahhhhh * (suspiro) Pra falar a verdade eu nem sei porque eu estou aqui com vocês. — Respondeu Zorg de forma desconsolada.

— Falou o filhinho de papai, somos amigos ou não somos? Lembra da nossa promessa?

— Juntos mesmo quando a merda for grande! — Disseram Pullan e Zorg simultaneamente.

— Hehe, isso aí. Berg, você já colocou as latinhas no lugar? — Perguntou Pullan.

— Ma… Mas que pergunta bo…boba é essa? É claro que sim. — Disse Berg enquanto ajeitava seus óculos.

— Ca… cada latinha foi colocada sistematicamente de metro em metro, esticada por uma linha transparente desde o corredor até todo o arredor da cantina. Se algum instrutor vier por aqui, ele irá sem dúvidas tropeçar em uma de minhas armadilhas fazendo um barulho tão alto que não tem como não escutarmos. — Disse Berg Sinistra e convencidamente.

— Beleza, é hora de usarmos nossas máscaras! — Disse Pullan.

— Nunca pensei que eu um dia usaria uma melancia na cabeça como uma máscara. — Disse Zorg em um misto de vergonha e riso.

— Hahahahaha! — Riram todos os três descontraidamente.

— Vamos, é hora da ação! — Disse Zorg tomando a frente.

— (Heh seu merda, você sempre reclama e acha tudo difícil, mas na hora da ação você sempre toma a dianteira né Zorg?) — Pensou Pullan enquanto sorria de lado.

O pátio do refeitório dos alunos da escola Imperial era um lugar exageradamente grande. Ele se parecia mais com o parque de uma cidade, do que com o pátio de uma escola.

A borda do pátio era composta por um belo jardim com os mais variados tipos de flores, cada flor era mais rara do que a outra e se estendia ao redor de todo o pátio acompanhando os muros. O pátio do refeitório dos alunos possuía apenas quatro entradas, uma ao norte, outra ao sul, uma no Leste e a última a oeste, seus caminhos até o centro onde se encontrava a cantina eram todos ladrilhados com o seu arredor repleto de arbustos, árvores e um verde e vasto gramado. Ao atravessar os muros e entrar no pátio, os alunos mais tinham a sensação de estarem em uma trilha na floresta, do que em um pátio de uma escola.

Zorg, Pullan e Berg se esgueiravam a partir da ala Oeste, cada um com uma melancia na cabeça como disfarce. Tomando a dianteira, Zorg seguia pulando pelas copas das árvores seguido por Pullan e Berg.

Berg, apesar de estar acima do peso quando comparado com os garotos de sua idade, ele não perdia em nada em relação a Pullan e Zorg acompanhando-os no mesmo ritmo.

Ao chegarem na penúltima árvore, algo crucial para o plano de fuga deveria ser feito. Berg deveria descer da árvore em que estavam e subir na última árvore que estava a mais ou menos quatro metros de distância da outra. Assim que ele acabou de subir, Zorg jogou uma corda para ele e cada um amarrou a ponta no tronco da árvore em que estavam.

— É hora de testar, espero que ela aguente. — Disse Zorg.

— A gente eu sei que aguenta, meu medo é o Berg. — Sussurrou Pullan.

— Vai ter de aguentar. — Disse Zorg enquanto se pendurava na corda.

— Uffa, deu certo! Agora que temos certeza de que a corda aguenta (pelo menos eu e o Pullan), vocês dois desçam e me esperem na porta da frente enquanto eu entro pelo teto e destranco a porta para vocês entrarem. — Disse Zorg.

Zorg rapidamente tirou algumas telhas do telhado e entrou na cantina, assim que ele abriu a porta para seus amigos entrarem, os três fizeram a festa. Todos pegaram dos mais variados tipos de doces e salgados até que seus anéis de fissura branca estivessem cheios, isso significava aproximadamente cento e cinquenta unidades para cada um.

* Birimbibilim, birimbibilim *

— Merda, as latinhas! — Exclamou Zorg.

— Já… já era, vamos morrer, se os instrutores não nos matarem meu pai com certeza vai. — Disse Berg enquanto o suor permeava seu corpo.

— Não exagera Berg, colocamos esse sistema de alarme justamente para podermos fugir. Rápido, vamos subir no telhado! — Disse Pullan.

— Eu vou na frente, enquanto vocês sobem eu vou ver quem está vindo. — Disse Zorg.

— Vai com cuidado, não deixe que te vejam hein. — Disse Pullan.

— Fica frio, eu sou a noite. — Disse Zorg enquanto subia no telhado.

— DROGA! Quem colocou isso aqui?!

— Jovem mestre, você está bem?

— Sim estou, eu só tropecei. Droga, ainda bem que o barulho não foi muito alto se não estaríamos ferrados. Não sei quem colocou isso aqui, mas fiquem de olho que deve ter mais espalhado por aí.

— Você acha que ainda é uma boa ideia irmos lá jovem mestre?

— Sim, é claro que sim. Algum idiota deve ter colocado isso durante o dia, não tem como ter alguém aqui agora. Além do mais eu tenho as chaves da cantina, não tem como sermos pegos.

Assim que Zorg viu quem era o rapaz seguido de seus dois servos, ele voltou a todo vapor para seus amigos.

— Merda, é o Salib! — Disse Zorg.

— O quê? O que aquele pé no saco tá fazendo aqui? — Perguntou Pullan franzindo o cenho.

— Pa… parece que ele também quer entrar aqui, vamos dar o fora logo antes que ele dedure a gente. — Disse Berg.

Os três passaram pela corda correndo como loucos e assim que estavam a uma boa distância, Zorg que estava na dianteira, fez um sinal para que parassem.

— O… O que foi? Vamos vazar logo da… daqui! — Disse Berg assustado.

— Não precisamos ter tanta pressa assim, eles também estão aqui escondidos, pelo que vi, quando as latinhas fizeram barulho eles ficaram com medo de serem descobertos e nem desconfiaram da gente. — Disse Zorg.

— E? — Perguntou Pullan levantando as sobrancelhas.

— E? Heh, ele sempre foi um convencido e chato, porque não damos uma pequena lição nele? — Disse Zorg com uma expressão sombria e demoníaca.

— Hehe, é só me dizer o que fazer. — Disse Pullan com um sorriso tão maldoso quanto o de Zorg.

— Ge.. Gente, qua… qual a necessidade disso? Va… vamos embora enquanto temos tempo e ninguém nos viu. — Disse Berg, mais assustado que antes.

— Calma Berg, vai dar tudo certo. Vocês estão com os seus estilingues aí? — Perguntou Zorg.

— Sim. — Responderam Pullan e Berg.

— É o seguinte, os instrutores estão jantando além dos portões da ala sul da cantina, então Berg e eu vamos atirar uma pedra em cada lado do portão enquanto você Pullan, vai quebrar um dos vidros da janela da cantina. — Disse Zorg com determinação.

— O… o quê!? Vo… você tá endemoniado por acaso? Vamos embora, pra que fazer isso, já temos doces para ficar ricos. Vamos logo! — Disse Berg em meio ao desespero.

— Berg, seja homem! É assim que você quer honrar sua família? — Disse Pullan com raiva.

— Deixe de ser um bebê chorão, você já tem seis anos, é hora de virar um macho de verdade. Esse Salib sempre foi um pé no saco, fazermos isso com ele é no mínimo o que ele merece. — Disse Pullan.

— E… Eu não sou bebê, é claro que sou homem. Vamos apenas terminar isso rápido então. — Disse Berg enquanto tirava seu estilingue de seu anel de fissura branca e pegava uma pedra no chão.

— Então tá, assim que o Salib chegar na cantina, eu vou contar até três, daí a gente atira todo mundo ao mesmo tempo, beleza? — Disse Zorg.

— Combinado. — Responderam Pullan e Berg ao mesmo tempo.

— Um…

— Dois…

* Pááááá *

— Merda Berg o que você fez!? Atira Pullan atira!!!

* Pááááá *

* Crash, cling cling cling *

Um segundo após o tiro precoce de Berg, dois vultos saíram por cima do portão da ala sul. E quando o tiro de Zorg e Pullan acertaram a cantina, os vultos já estavam sobre ela.

— Merda os instrutores! — Exclamou Pullan.

— CORRE BERG, CORRE! Meu Deus do céu, meu Deus do céu Berg você viu isso? Como que eles já chegaram até a cantina?! — Exclamou Zorg.

— Hããã? Mas que merda é essa? Que flashback mais estranho logo ao acordar. — Murmurou Zorg de forma pensativa.

* Aaaahhh * (suspiro) — E pensar que nove anos já se passaram depois disso. — Murmurou Zorg.

— (Pullan e Berg (Maldito Berg), como será que vocês estão hein?) — Pensou Zorg consigo mesmo.

— Bons tempos aqueles, sinto falta… Se ao menos eu não tivesse sido um fracasso… Talvez hoje nós poderíamos estar andando juntos fazendo missões.

* Toc, toc, toc * — Élder Zorg, o senhor já está acordado? — Ressoou uma voz feminina de fora do quarto.

— Sim, pode entrar. — Disse Zorg.

— Bom diaaa! Como o nosso Quinto Élder Alquimista dormiu esta noite? — Disse a garota de forma tão resplandecente quanto o sol.

— Dormi esplendorosamente bem.

* Huuuuu aaaaahhhh * (Inspiração profunda) — Mas nada é tão agradável quanto o aroma amadeirado deste seu perfume, Síbila. — Disse Zorg enquanto olhava para o quadril de sua serva que estava de costas abrindo as cortinas do quarto.

— Heh Jovem Élder, ainda não me acostumei com sua forma de me tratar. Sempre prestando a atenção aos detalhes e sempre nos tratando bem com elogios. — Disse Síbila.

— Ora, e por acaso isso é errado? — Indagou Zorg.

— Pode não ser errado, mas também não é certo. O senhor sabe muito bem que estamos em posições diferentes, os outros Élderes sempre torcem a cara quando veem o jovem Élder conversando com os servos de forma tão casual. — Disse Síbila com um pouco de preocupação.

— Que se dane as diferenças sociais, eu nunca liguei para isso. Enquanto você me tratar bem e usar este perfume (principalmente o perfume) eu sempre vou trata-la bem. — Disse Zorg enquanto se levantava.

— Eu realmente tive sorte quando fui designada a te servir. Venha, a mesa do café já está pronta, seus outros servos também estão lá. Coma bem, pois hoje é o seu grande dia. Irei ajuda-lo com todos os preparativos possíveis para o dia de hoje, futuro Quarto Élder Alquimista.

— Futuro Quarto Élder é? Como pode ter tanta certeza de que vou vencer a disputa de hoje? — Disse Zorg enquanto sorria.

— Ora, não é isso o que o senhor vem fazendo desde que entrou para nossa associação? Vencendo cada um a quem você propõe um duelo de colocação? Me diz, dentre os Alquimistas de Gaia, quem além dos três primeiros no comando pode vencê-lo? — Disse Síbila.

— Hahahaha isso é verdade. — Disse Zorg enquanto caminhava rumo a sala de café e passava o braço pela cintura de Síbila.

— Senhor, não se agarre em minha cintura. — Disse Síbila sériamente.

— Tá bom, tá bom…

Anúncios

Um comentário em “01 – Roubando da Escola Imperial

  1. Olha quem voltou!!!
    Depois de muito tempo longe (Por motivos pessoais, mas no meu site eu fiz um post explicando) finalmente eu estou de volta, e dessa vez bem melhor!
    A história será reescrita, mas sem mudar muito a trama principal. Essa mudança será mesmo para melhorar o nível da novel, acredito que quando lerem vocês entenderão.
    Desde já agradeço a leitura de vocês e estarei aguardando seus comentários com suas opiniões!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s